Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Alemanha alerta para dificuldades da indústria se o gás russo parar de fluir

A Alemanha pode ser forçada a desacelerar ou mesmo desligar a capacidade industrial se o acordo de trânsito de gás da Ucrânia com a Rússia não for prorrogado depois de expirar no final do ano que vem, segundo o ministro da Economia, Robert Habeck. Anunciou a agência Bloomberg.

Habeck, que também é o vice-chanceler, emitiu o alerta severo na segunda-feira numa conferência económica no leste da Alemanha, dizendo que os formuladores de políticas devem evitar “cometer o mesmo erro novamente” de presumir que a economia não será afetada sem precauções para garantir o fornecimento de energia.

As regras sobre a divisão do ônus da potencial escassez de gás na Europa Oriental teriam de ser respeitadas, o que significa que a Alemanha teria que exportar gás para os outros países da EU para compensar o déficit, e os fabricantes na maior economia da Europa poderiam ter o seu fornecimento restrito ou cortado, acrescentou.

“Não há cenário seguro de como as coisas vão acabar”, disse Habeck no fórum em Bad Saarow. Capacidade adicional – incluindo um terminal de GNL planeado na costa norte da Alemanha que provocou oposição de moradores e grupos ambientalistas – será, portanto, essencial para manter o abastecimento tanto para a Alemanha Oriental quanto para a Europa Oriental, disse ele.

Apesar da invasão em grande escala do país pelas forças do Kremlin em fevereiro do ano passado, a Ucrânia ainda está a ganhar taxas de trânsito ao permitir que o gás russo flua através do seu território para países como Áustria, Eslováquia, Itália e Hungria.

Mesmo que algum fornecimento continue além de 2024, é improvável que o atual acordo de trânsito seja estendido em condições semelhantes, dada a falta de apoio político, de acordo com um relatório do Centro de Política Energética Global publicado na semana passada .

“As negociações diretas entre a Ucrânia e a Rússia sobre a extensão do contrato de trânsito parecem altamente implausíveis no ambiente atual”, de acordo com as autoras do relatório.