Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Angola apresenta estratégia 2023- 2025 da OEACP

Angola apresentou, este domingo, na sede da Organização de Estados de África, Caraíbas e Pacífico (OEACP), em Bruxelas (Bélgica), as principais prioridades da estratégia da presidência em exercício de Angola 2023 -2025.

O documento foi apresentado pelo secretário de Estado para a Cooperação Internacional e Comunidades Angolanas no Exterior, Domingos Custódio Vieira Lopes, durante a 16ª Sessão do Conselho de Ministros da OEACP, que decorreu em Bruxelas, Bélgica.

Segundo Domingos Custódio Vieira Lopes, Angola tem responsabilidades acrescidas, em virtude de assumir, actualmente, a presidência em exercício da organização, comprometendo-se em reforçar a ideia dos três continentes três oceanos, um destino comum, uma OEACP resiliente e durável.

De entre as prioridades da estratégia de Angola, Domingos Custódio Vieira Lopes destacou a institucionalização de uma reunião anual da Troika da Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da OEACP, de uma reunião bianual sobre recursos naturais petróleo e seus derivados, bem como a organização da reunião dos speakers dos Parlamentos Nacionais no próximo ano em Luanda.

Durante a reunião do Conselho de Ministro, Domingos Custódio Vieira Lopes apresentou o relatório do Comité Ministerial da Cooperação para o Financiamento ao Desenvolvimento, que aprovou a estratégia de mobilização de recursos para a Organização de Estados de África, Caraíbas e Pacífico.

Fazem parte da delegação angolana, o embaixador de Angola na Bélgica, Luxemburgo e Junto da União Europeia, Mário de Azevedo Constantino, o Coordenador para as actividades de apoio ao ponto Focal Nacional da OEACP, Alves Primo, bem como técnicos do MIREX.

Angola assume a presidência da Organização dos Estados de África, Caraíbas e Pacífico, que tem como secretário-geral o angolano Georges Rebelo Chikoti.

A OEACP tem como principal objectivo o desenvolvimento sustentável dos Estados Membros e a sua integração gradual na economia global. VM