Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Angola Telecom e a Liquid Dataport em parceria para melhorar a conetividade entre Angola e a COMESA

A Liquid Dataport, uma empresa da Liquid Intelligent Technologies (Liquid) (www.Liquid.Tech), um grupo tecnológico pan-africano, e a Angola Telecom, o principal operador de rede fixa em Angola, anunciam uma nova rota de fibra terrestre entre Luanda, em Angola, e Joanesburgo, na África do Sul, através da RDC, Zâmbia e Zimbabué. A adição desta rota à espinha dorsal regional de fibra da Liquid constitui um acréscimo significativo à sua atual rede de 110 000 km, proporcionando aos seus clientes regionais acesso a conetividade de alta velocidade a custos acessíveis.

Mário Oliveira, Ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, afirmou: “Nos últimos 25 anos, fizemos investimentos significativos no nosso setor de telecomunicações, que inclui conetividade terrestre, submarina e até por satélite. Compreendemos o papel crucial desempenhado pelas Parcerias Público-Privadas, e é por isso que temos novas leis em vigor que apoiam e oferecem incentivos atrativos para os intervenientes internacionais, como a Liquid Dataport, que ajudam a impulsionar o nosso foco nacional para a modernização de Angola orientada para as TI. A parceria entre a Angola Telecom e a Liquid Dataport também nos permitiu desfrutar de uma conetividade perfeita com outros países da COMESA e África do Sul, apoiando o crescimento a longo prazo das nossas economias”.

Com este investimento, a Liquid Dataport e a Angola Telecom permitiram que as organizações e as pessoas em Angola tivessem acesso a conetividade de alta velocidade, oferecendo inúmeras vantagens e fomentando corredores de comércio direto. Esta rota atravessa Angola, a República Democrática do Congo (RD Congo), o Zimbabué, a Zâmbia e a África do Sul.

Enquanto que a rota responde à elevada procura dos clientes grossistas, a Liquid Dataport estabeleceu uma parceria com a Angola Telecom para fornecer às grandes empresas e PME do país acesso a conetividade de alta velocidade e até conetividade direta a centros de dados em Joanesburgo.

Adilson dos Santos, CEO da Angola Telecom, afirma: “Existe um esforço consciente para tornar a Internet mais popular, uma vez que, atualmente, a penetração da Internet em Angola é de apenas 5 milhões de pessoas, estando aquém dos objetivos perspetivados pelo setor. A Angola Telecom e a Liquid Dataport têm conseguido trabalhar em conjunto há mais de dois anos, pois estamos a trabalhar para um objetivo comum. Através do nosso Plano Nacional de Telecomunicações Rurais, queremos garantir que a conetividade esteja disponível para todos os cidadãos, inclusive nas partes mais remotas do país. Estamos entusiasmados por ver os frutos desta parceria conduzirem ao aumento da contribuição do setor das TIC a nível nacional, na região e para o PIB nacional”.

O investimento da Liquid Dataport nesta rota de última geração está alinhada com a sua visão mais ampla de estabelecer uma extensa rede de rotas de fibra em toda a África. Com uma rede que abrange vários países, incluindo a África do Sul, o Quénia, o Zimbabué e a Nigéria, a empresa está a trabalhar para uma África conectada que alimente a inovação, impulsione o crescimento económico e promova o desenvolvimento socioeconómico que não deixa ninguém para trás.

“O nosso investimento contínuo na nossa ‘Rede Digital Uma África’ proporciona aos clientes acesso aos principais centros de dados na África do Sul, no Quénia, na Nigéria e agora em Angola, garantindo que os dados africanos nunca tenham de sair das nossas costas. A nossa dedicação inabalável à expansão dos horizontes da conetividade em África permitirá às empresas desbloquear oportunidades de crescimento sem precedentes, colaborar a uma escala global e aproveitar o imenso potencial das tecnologias digitais”, concluiu David Eurin, CEO da Liquid Dataport.