Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Argentina e FMI chegam a acordo de princípio para pagamento da dívida

O governo argentino e o Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciaram, no domingo (23), que chegaram a um acordo de princípio sobre a quinta revisão do programa de crédito acordado no ano passado por 44 bilhões de dólares (208,7 bilhões de reais, na cotação atual).

“As equipes do Ministério da Economia e do Banco Central da Argentina e do FMI concluíram os aspectos centrais do trabalho técnico da próxima revisão”, disseram ambas as partes em suas contas no Twitter.

Segundo eles, “foram acordados os objetivos e parâmetros centrais que servirão de base para um ‘Staff Level Agreement’ (acordo a nível de pessoal) que deverá ser finalizado nos próximos dias e depois avançar para a revisão do programa da Argentina”.

“Este acordo visa consolidar a ordem fiscal e fortalecer as reservas, reconhecendo o forte impacto da seca, os prejuízos às exportações e as receitas fiscais do país”, especificaram.

Uma equipe do governo de Alberto Fernández viajou a Washington no dia 16 de julho para buscar flexibilizar as metas do programa de crédito de 44 bilhões de dólares assinado com o FMI em 2022 e para obter os desembolsos previstos.

O ministro da Economia, Sergio Massa, que também é pré-candidato à presidência, garantiu que os pagamentos chegarão nos meses de agosto e novembro.

“Há um pacote muito grande de desembolsos em agosto e um adicional em novembro. É um número muito importante para a Argentina”, disse ele em entrevista à televisão C5N, mas não quis especificar os valores.

– Estímulo às exportações, imposto às importações –

A Argentina, que terá eleições presidenciais e parlamentares em outubro, não conseguiu cumprir as metas de acúmulo de reservas internacionais e de redução do déficit fiscal estabelecidas para o primeiro e segundo trimestres deste ano.

Mas com o princípio do acordo alcançado com o FMI, será definido um programa “para os próximos cinco meses”, disse Massa, para que as eleições possam ser realizadas sem “o Fundo envolvido”.

Nesta segunda-feira, o governo decretou uma nova taxa de câmbio de 340 pesos por dólar (melhor que a oficial de cerca de 280 pesos por dólar) para a liquidação das exportações agrícolas, a principal fonte de divisas, segundo um decreto publicado no Diário Oficial.

Paralelamente, acrescentou medidas tributárias às importações e também às grandes empresas.