Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Aumenta número de vítimas de ataques russos na Ucrânia

Pelo menos nove pessoas morreram na sequência dos mísseis russos que esta quarta-feira atingiram a Ucrânia.

Na região de Kiev, o número de vítmas dos bombardeamentos a uma escola e duas residências de estudantes subiu para oito. Em Zaporíjia, um duplo ataque a dois edifícios residenciais matou pelo menos uma pessoa e deixou mais de 30 feridos.

Da Agência Internacional de Energia Atómica chega ainda outro alerta: a central nuclear da cidade, ocupada a 09 de março pelo exército russo, encontra-se em “estado precário”, com a “última linha elétrica de emergência” danificada desde o início do mês.

Já em Bakhmut, dizem especialistas pró-ucranaianos, a ofensiva russa parece estar a abrandar, após meses de intensos combates e bombardeamentos.

A cidade, que nos últimos tempos assumiu relevância estratégica nas intenções expansionistas de Moscovo, foi escolhida pelo presidente Volodymyr Zelenskyy para uma visita surpresa às tropas na linha da frente com direito a entrega de medalhas aos soldados.

A região tem sido uma das mais afetadas pelo conflito, com muitos civis a depender de ajuda humanitária para sobreviver. Em resposta às solicitações que se acentuam sobretudo perto da linha da frente, a Cruz Vermelha conseguiu fazer chegar, esta quarta-feira, bens de primeira necessidade a duas localidades perto de Bakhmut.

Também o Fundo Monetário Internacional (FMI) se comprometeu a apoiar à Ucrânia, através do empréstimo de 15,6 mil milhões de dólares. O pacote representa uma estreia para o FMI, que, desta forma, pela primeira vez na história da instituição, vai financiar um país em guerra.