Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Candidatos republicanos à eleição em 2024 atacam Departamento de Justiça, não Trump, após indiciamento

Os principais rivais de Donald Trump na indicação presidencial do Partido Republicano para 2024 condenaram o Departamento de Justiça pelo indiciamento dele por retenção ilegal de documentos confidenciais, reforçando o temor que eles têm de perturbar os apoiadores do ex-presidente.

O indiciamento de um ex-presidente por acusações federais não tem precedentes na história dos Estados Unidos, um caso que se torna ainda mais extraordinário pelo status de Trump como o grande favorito na corrida republicana para desafiar o democrata Joe Biden no ano que vem.

Em vez de usar a acusação para minar a candidatura de Trump à Casa Branca, no entanto, o governador da Flórida, Ron DeSantis, o senador Tim Scott e Nikki Haley estavam entre os candidatos que preferiram acusar o Departamento de Justiça de lançar mão de viés político, destacando uma postura que se tornou central para muitas das pré-campanhas.

O indiciamento foi revelado na tarde desta sexta-feira, com alegações detalhadas de que Trump havia manipulado incorretamente documentos contendo alguns dos segredos de segurança mais sensíveis do país e obstruído a investigação da Justiça.

“Tornar a aplicação da lei uma arma representa uma ameaça mortal para uma sociedade livre”, escreveu no Twitter DeSantis, que está em um distante segundo lugar atrás de Trump nas pesquisas. “Há anos testemunhamos uma aplicação desigual da lei, dependendo da afiliação política.”

Os republicanos têm alegado, sem apresentar provas, que a acusação sofrida por Trump é uma ação politicamente motivada de Biden. O Departamento de Justiça diz que todas as decisões investigativas são feitas sem levar em conta a política partidária e entregou a investigação a um procurador especial que foi nomeado em uma tentativa de adicionar um grau de independência a uma investigação tão sensível politicamente.

O indiciamento, contendo 37 acusações criminais contra Trump, o acusa de manipular incorretamente documentos confidenciais que incluíam informações sobre o programa nuclear dos EUA e possíveis vulnerabilidades domésticas no caso de um ataque.

O ex-governador do Arkansas Asa Hutchinson, um candidato republicano de longa data, foi o único adversário interno até agora a criticar Trump de forma aberta. Hutchinson pediu que ele encerre sua campanha, argumentando que Trump havia desrespeitado a Constituição e mostrado um “desrespeito pelo estado de direito”.

O ex-governador de Nova Jersey, Chris Christie, que esta semana criticou Trump ao anunciar sua candidatura para 2024, disse que queria ver os detalhes do indiciamento antes de avaliar.

De modo geral, no entanto, os adversários vieram em defesa de Trump, talvez cientes de como o indiciamento de Trump em março em Nova York sobre um suposto suborno a uma estrela pornô foi visto por muitos republicanos como politicamente enviesado e serviu para fortalecer o apoio ao ex-presidente.

Por Nathan Layne