Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

China diz ser “prioridade” impedir que vice-presidente de Taiwan visite EUA em agosto

É “prioridade” da China impedir que o vice-presidente de Taiwan e favorito na eleição presidencial, William Lai, visite os Estados Unidos no próximo mês, disse o embaixador chinês em Washington na quarta-feira, enquanto Pequim intensifica seus alertas contra a viagem.

A China, que vê Taiwan como seu próprio território, tem intensificado a pressão militar e política nos últimos três anos para tentar forçar a ilha a aceitar as reivindicações de soberania de Pequim, que o governo de Taipé rejeita veementemente.

Taiwan realizará eleições presidenciais e parlamentares em janeiro, com Lai, candidato presidencial do Partido Democrático Progressista (DPP), liderando na maioria das pesquisas de opinião.

Lai fará escalas oficiais nos Estados Unidos em seu caminho ao Paraguai para a posse do novo presidente paraguaio, Santiago Peña, em 15 de agosto, atraindo a insatisfação de Pequim, que chamou Lai de separatista.

O embaixador chinês Xie Feng disse ao Fórum de Segurança de Aspen que “Taiwan é da China” e que o país quer uma “reunificação” pacífica, mas os “separatistas” taiwaneses estão avançando em sua agenda, buscando o apoio dos EUA.

“Eles nem admitem que são chineses. Portanto, esse é um caminho muito perigoso que estão seguindo”, disse Xie.

As ações provocativas dos “separatistas” de Taiwan devem ser contidas, acrescentou.

“Agora, a prioridade para nós é impedir que Lai Ching-te visite os Estados Unidos, o que é como um rinoceronte cinza vindo em nossa direção”, disse Xie, usando o nome chinês de Lai.

Um evento “rinoceronte cinza” refere-se a uma ameaça altamente óbvia, mas ignorada.

O Ministério das Relações Exteriores de Taiwan disse em resposta que a China não tem motivos para usar a viagem de Lai para “iniciar uma luta”, e está agindo de forma absurda ao tentar alegar que é uma defensora da paz enquanto assedia continuamente a ilha com seus militares.

O Ministério da Defesa de Taiwan afirmou ainda que detectou nesta quinta-feira 22 aviões de guerra chineses ao redor da ilha, alguns dos quais cruzaram a sensível linha mediana do Estreito de Taiwan, enquanto sete navios de guerra chineses realizaram “patrulhas de prontidão de combate”.