Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

China reafirma financiamento para conclusão do Novo Aeroporto de Luanda

O embaixador da China em Angola, Gong Tao, reiterou nesta quarta-feira o contínuo financiamento do seu país para a conclusão das obras do Novo Aeroporto Internacional de Luanda, na zona do Bom Jesus, município de Icolo e Bengo.

Baptizado por Dr. António Agostinho Neto, primeiro Presidente de Angola, a infra-estrutura tem um orçamento na ordem de USD 1,4 mil milhões e está a cargo da empresa estatal chinesa Aviation Industry Corp of China (AVIC).

Em declarações à imprensa, à saída de um encontro com o Presidente João Lourenço, o diplomata assegurou, de igual modo, o financiamento do governo do seu país à construção da barragem hidroelétrica de Caculo Cabaça, na província de Cuanza Norte.

A conclusão das obras da barragem de Caculo Cabaça vai permitir a redução do défice do consumo de energia eléctrica no país em 66 por cento, gerando uma potência de 5.700 megawatts.

O embaixador cessante da China anunciou a realização, este mês, da reunião da Comissão Mista Económica Angola/China, que vai avaliar a cooperação bilateral.

Informou que o encontro com o Chefe de Estado angolano serviu, também, para analisar a parceria estratégica Angola-China e reafirmar a vontade de continuar a apoiar o Estado angolano no processo de diversificar da economia.

O embaixador, que se despediu do Presidente angolano, no fim de quatro anos de missão no país, afirmou total engajamento do país asiático em incentivar os empresários chineses a investirem em Angola nos sectores da indústria, agricultura, das pescas, dos minerais e do turismo.

Até ao momento, a China é o maior parceiro comercial de Angola, o maior mercado de exportação e uma importante fonte de investimento.

Na África subsaariana, Angola é o segundo maior parceiro comercial e o maior exportador de petróleo para o mercado chinês.

Angola é o país africano que recebeu mais empréstimos da China. Nos últimos 20 anos foram mais de 42 mil milhões de dólares.

Audiência ao embaixador francês

Nesta quarta-feira, o Estadista angolano, João Lourenço, também recebeu, em audiência, o embaixador cessante de França em Angola, Daniel Vosgien.

Em fim de missão no país, o diplomata reafirmou as prioridades na cooperação nos domínios da agricultura, agro-alimentar, educação, indústria, formação profissional e ensino superior.

“O governo francês está disponível em apoiar Angola no seu programa de diversificação da sua economia”, informou o diplomata que cumpriu três anos de missão em Angola.

A França tem mantido relações diplomáticas com Angola, desde a Independência deste país a 11 de Novembro de 1975.

O primeiro, acordo assinado em 1982, lançou as bases da cooperação bilateral com um dos principais parceiros económicos do país.

Mais de 70 empresas francesas operam em Angola e proporcionam cerca de 10 mil empregos. AFL/AL/ADR