Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Eleições 2020: Trump apresenta-se hoje em tribunal para conhecer acusações

Donald Trump foi indiciado pelas tentativas de inverter o resultado das eleições presidenciais de 2020, a mais grave acusação contra o ex-presidente que já enfrenta vários processos criminais, e foi convocado para comparecer no tribunal federal de Washington esta quinta-feira.

Trump recebeu uma intimação para se apresentar perante a magistrada Moxila Upadhyaya às 16:00 locais (21:00 de Lisboa).

O principal favorito às primárias republicanas para as eleições de 2024 foi acusado de “conspiração contra o Estado dos Estados Unidos”, obstrução de um processo oficial e violação dos direitos eleitorais, na sequência de uma investigação supervisionada pelo procurador especial Jack Smith.

“Apesar da sua derrota, o arguido estava determinado a manter-se no poder. Como resultado, por mais de dois meses após a eleição de 3 de novembro de 2020, o réu espalhou falsidades de que houve fraude que alterou o resultado e que ele de facto ganhou”, observa a acusação.

“As alegações eram falsas e o arguido sabia que eram falsas, mas o arguido repetiu-as e divulgou-as amplamente, apesar de tudo”, lê-se na acusação.

Trump anunciou, a 18 de julho, que tinha recebido uma carta de Jack Smith informando-o de que era pessoalmente visado pela investigação federal sobre as tentativas de anulação dos resultados das eleições presidenciais de 2020 e, em particular, sobre o assalto ao Capitólio de 6 de janeiro de 2021.

Nesse dia de 2021, de contagem dos votos do colégio eleitoral que confirmavam a vitória do democrata Joe Biden, Trump fez um discurso inflamado aos seus apoiantes reunidos não muito longe da Casa Branca, apelando-lhes para que “lutassem como o diabo” contra os resultados da eleição presidencial que os representantes eleitos tinham de certificar.

Uma multidão invadiu então o Capitólio, num cenário de violência e caos que chocou a América e o mundo.

“Porque é que não fizeram isto há dois anos e meio? Porque é que esperaram tanto tempo? Porque queriam que acontecesse mesmo a meio da minha campanha”, escreveu hoje Trump na rede social Truth ainda antes de conhecer as acusações.

Estas são as acusações mais graves apresentadas contra o antigo chefe de Estado, que já enfrenta acusações criminais pelo alegado tratamento negligente de documentos confidenciais da Casa Branca e por pagamentos suspeitos a uma antiga atriz de filmes ‘porno’.

Donald Trump, 77 anos, tornou-se este ano o primeiro ex-presidente dos Estados Unidos a ser acusado criminalmente pelos tribunais federais.

Apesar disso, o tempestuoso político bilionário mantém a lealdade de uma grande parte do seu partido: lidera as sondagens para a nomeação republicana e está mesmo a aumentar a diferença em relação ao ‘número dois’, o governador da Florida Ron DeSantis, que tem acumulado uma série de passos em falso desde o início da sua campanha.

Ainda não é claro qual o impacto que esta última acusação terá na candidatura de Donald Trump à Casa Branca.

Nas últimas semanas, o ex-presidente já denunciou uma “caça às bruxas”, uma nova “interferência eleitoral” e um “uso político” do sistema de justiça para o impedir de ser candidato.

Dando continuidade a uma longa campanha de desinformação, Trump continua a afirmar, sem qualquer prova, que as eleições de 2020 lhe foram “roubadas”.

Os problemas podem não ficar por aqui para Trump: a procuradora Fani Willis do estado da Geórgia deverá também anunciar até setembro o resultado da sua investigação sobre as pressões que o antigo anfitrião do concurso televisivo “The Apprentice” exerceu para tentar alterar o resultado das eleições presidenciais de 2020 neste estado do sul do país.