Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Governador Muangala destaca relações “indestrutíveis” com a Zâmbia

O governador provincial, Ernesto Muangala, destacou, esta segunda-feira, no Luena, que a cooperação entre as províncias do Moxco (Angola) e Ocidental (Zâmbia) resulta das relações históricas e de “amizade indestrutível” entre os povos irmãos.

Ernesto Muangala teceu tais declarações durante um encontro de cortesia que manteve com o seu homólogo da província Ocidental, Kapelwa Mbangwe, que chegou ao Luena para participar, nos próximos três dias, da 2ª sessão de Cooperação Regional e Intercâmbio Cultural Moxico/Ocidental.

Para Ernesto Muangala, essas relações “históricas e de sangue” entre os dois povos irmãos foram reforçadas com a visita efectuada, em Janeiro desse ano, do Presidente da República da Zâmbia, Hakainde Hichilema, a convite do seu homólogo angolano, João Lourenço.

“As nossas relações com a república da Zâmbia são históricas e de sangue, e veem dos ancestrais desde a luta dos povos pela sua autodeterminação e pela sua independência”, recordou Ernesto Muanga.

Por sua vez, o ministro (governador) da província Ocidental da República da Zâmbia, Kapelwa Mbangwe, na sua intervenção, disse estar no Luena para se dar continuidade dos acordos assinados na cidade de Mongu, capital da província Ocidental, durante a 1ª sessão de cooperação Regional e Intercâmbio Cultural.

Kapelwa Mbangwe, que antes do encontro de cortesia depositou uma coroa de flores no Monumento à Paz, espera que a visita consolide os laços bilaterais entre os dois países, caracterizados pela irmandade, fraternidade e espírito comum.

As relações históricas entre Angola e Zâmbia ganharam novo impulso com a assinatura, em Janeiro último, de seis instrumentos jurídicos, entre os quais destaca-se o memorando de entendimento entre os governos dos dois países para construção das “estradas de ligações fronteiriças”, nas vias Jimbe, Mwene Lunga e Mapelenga (Malundo-Sikongo).

Instrumento esse que a ser implementado vai facilitar a circulação de
pessoas e bens dos dois países.

Relativamente ao “Memorando do Mongu”, ambos governadores haviam assumido vários compromissos, ressaltando-se, por exemplo, no sector da saúde, a intenção de se estabelecer um sistema de comunicação e referenciação entre os sistemas de saúde do Moxico e da provincial Ocidental.

Numa altura em que mais de três mil angolanos procuram, mensalmente, os serviços de saúde nessa província da Zâmbia, a cooperação va permitir o controlo da malária entre a população nas zonas fronteiriças, gestão de medicamentos, produtos essenciais e programas de intercâmbios de profissionais.

Já na educação, o Moxico pretende colher a experiência da Zâmbia para explorar melhor o Instituto Técnico Agrário (ITAL), em funcionamento no município do Luau, além das tecnologias usadas para o fomento da agricultura.

Em termos do comércio, do lado angolano, a ideia passa por dinamizar o sector agro-alimentar, para promover a empregabilidade e a geração de renda, enquanto a província Ocidental poderá exportar os produtos produzidos, desde lacticínios, insumos agrícolas, bem como a tecnologia usada na produção de cereais.

Questões de segurança, comércio, turismo, igualdade de género, entre outros sectores, constam igualmente do “Memorando do Mongu”.

As províncias do Moxico e Ocidental da Zâmbia têm uma relação histórica e geográfica que remonta aos tempos da Luta pela Independência Nacional, partilhando uma extensa fronteira comum e afinidades culturais e linguísticas.

A actual cooperação entre as duas províncias, cujos países são membros da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC, sigla em inglês), visa fortalecer os laços de amizade e solidariedade entre os dois povos, bem como promover o desenvolvimento social e económico da região. MT/YD