Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Ministro reitera transparência na indústria extractiva

O ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo, reiterou, hoje, terça-feira, em Dakar, Senegal, manter a transparência no sector extrativo de Angola, para torná-lo mais atractivo ao investimento nacional e estrangeiro.

O processo, lembrou, é uma iniciativa do Presidente da República, João Lourenço,que decidiu a adesão de Angola a membro da Iniciativa para Transparência na Indústria Extractiva -ITIE.

Para Angola, o processo está numa fase considerada “muito importante”, que é a preparação do primeiro relatório do Comité Nacional da ITIE-Angola, cuja conclusão está previsto para Dezembro deste ano, de acordo com o governante.

Diamantino Azevedo interveio na Conferência Global da ITIE/2023, diante do Presidente da República do Senegal, Macky Sall, e Chefes de Estado e de Governos de países membros.

O ministro angolano referiu que o relatório será submetido ao secretariado Internacional do ITIE, além de vir a ser utilizado para a melhoria do sector de petróleo, gás e mineração, para que as receitas sirvam cada vez mais ao desenvolvimento económico do país e bem-estar da população.

Na sua intervenção, o governante angolano, que é o coordenador do Comité Nacional da referida iniciativa, partilhou também o trabalho que o país tem vindo a executar, para o alcance dos resultados da transferência que se busca.

Entre outros trabalhos, Diamantino Azevedo aponta reformas legislativas e do próprio modelo de governação.

” Dizer que, as reformas em curso não são estáticas, é um processo que deverá ser contínuo”, avançou.

Diamantino Azevedo, de igual modo, falou sobre os trabalhos que Angola abraça para reduzir a dependência da importação de derivados de crude, transformando mais a nível local.

Posição da transição mantém

O ministro Diamantino Azevedo recebeu aplausos da plateia presente ao referir sobre a posição de Angola qem torno da transição energética.

Neste encontro, à semelhança de outros, Diamantino Azevedo deixou claro que a transição energética não deve ser imposta por países terceiros.

No caso de Angola, reafirmou que o país terá a sua própria agenda.

Segundo o ministro dos Recursos Minerais, Petróleos e Gás, Angola quer uma transição justa, uma transição com equidade que sirva os interesses do país e dos povos em África, que ainda assistem uma pobreza energética acentuada.

” Para que se saiba e compreenda, a transição energética deve ser justa e equilibrada”, sublinhou, para quem há minerais que continuam a ser necessário, apelando cautela a abordar sobre o assunto.

O governante angolano defende ainda que o ponto de partida de cada país deve ser considerado neste quesito da transição energética.

A Conferência Global da ITIE/2023, em Dakar, Senegal, assinalou os 20 anos desta organização e reuniu representantes de vários países membros.

A aceitação da adesão de Angola como membro da Iniciativa de Transparência na Indústria Extractiva (ITIE Internacional), decorreu durante a 53ª Reunião do Conselho da ITIE Internacional, realizado em Bruxelas (Bélgica), entre os dias 16 e 17 de Junho de 2022.

A ITIE Internacional passa agora é constituída por 57 países membros, sendo Angola o 28º país africano a aderir a Iniciativa e um dos três maiores produtores de petróleo epm África, ao lado da Líbia e Nigéria.NE