Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Primeiro embaixador angolano nos EUA optimista quanto ao futuro

O primeiro embaixador de Angola nos Estados Unidos da América m, José Patrício, disse à ANGOP, quarta-feira, estar optimista quanto ao aprofundamento futuro das relações entre os dois países.

Actual embaixador de Angola na Turquia, José Patrício respondia a uma questão a propósito do 30º aniversário do reconhecimento de Angola pelas autoridades dos Estados Unidos da América, que se comemora na sexta-feira.

“As estatísticas não mentem e o facto de as relações de cooperação entre Angola e os Estados Unidos da América estarem a crescer e a diversificarem-se só pode ser motivo de satisfação e crença num futuro de maior prosperidade”, disse.

Em relação a essa matéria, o embaixador cita a Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações de Angola (AIPEX), segundo a qual os Estados Unidos são, hoje, “o primeiro país com o maior número de processos e manifestações de interesse em investir em Angola e, mais importante que tudo, fora do enclave dos petróleos”.

Quanto ao reconhecimento de Angola pelos Estados Unidos da América, José Patrício diz que o processo “foi um parto difícil, envolvido e condicionado a muitos outros factores do xadrez político-militar que se vivia na altura”.

“Diria mesmo que o reconhecimento foi explorado até ao limite da sua sustentabilidade política e a continuação do seu adiamento estava já a ferir a credibilidade da Casa Branca, tais eram os apelos nesse sentido vindos de todos os quadrantes planetários”, afirmou.

“Parto difícil, mas que gerou um rapaz saudável que hoje celebra 30 anos de um percurso em que as relações entre os dois Estados crescem e fortalecem em ambiente de excelentes expectativas para o futuro”, acrescentou.

Independente desde 11 de Novembro de 1975, Angola teve que aguardar 17 anos pelo reconhecimento das autoridades dos Estados Unidos da América, facto que viria a ocorrer apenas a 19 de Maio de 1993.

O reconhecimento de Angola pelos Estados Unidos da América aconteceu no ano seguinte às primeiras eleições multipartidárias angolanas, realizadas em 1992.

José Patrício foi embaixador de Angola nos Estados Unidos da América de 1993 a 1994. Antes (desde 1991), desempenhou a função de embaixador na Organização dos Estados Americanos (OEA).

De Setembro de 1994 até finais de 1999, foi embaixador em Portugal, tendo, depois, representado Angola nas Nações Unidas, nos anos 2000 e 2001.

Interromperia a sua actividade diplomática para ingressar na British Petroleum (BP) Angola, por um período de 10 anos, como “Country President”, tendo transitado, depois, para a GENIUS, uma holding angolana.

Retomou a vida diplomática, em 2018, já na era do Presidente João Lourenço, como embaixador de Angola na Turquia, até à actualidade.

Antes da diplomacia trabalhou na Rádio Nacional de Angola (RNA) e na Presidência da República, como secretário do Presidente para a Informação.

É titular de uma pós-graduação em Marketing Político e Comunicação, pela Universidade Independente de Portugal e pela Complutense de Espanha.