Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Regresso da Total Energies a Moçambique ainda sem datas concretas

Decorrem a um ritmo satisfatório as conversações entre o Governo moçambicano e Total Energies, para a retoma do maior investimento privado em África. Trata-se de um projecto avaliado em 20 mil milhões de euros e inclui linhas de captação de gás natural a grande profundidade na Bacia do Rovuma, na província de Cabo Delgado, norte do país.

A petrolífera francesa, Total, abandonou Moçambique e o processo de construção do complexo industrial depois do ataque terrorista junto ao seu acampamento, na vila de Palma em Março de 2021.

Ainda não há datas concretas para a retoma da Total na província de Cabo Delgado, rica em recursos naturais, onde está suspensa a construção da sua fábrica de liquefação de gás, mas espera-se que as atividades retomem em Julho deste ano.

O embaixador da França em Moçambique, Yann Pradeau, abordou a questão numa reunião com a confederação das associações económicas do país com vista a realização do Fórum de Negócios Moçambique – França, a ter lugar em Maputo, nos dias 24 e 25 deste mês de Abril, sem revelar muitos detalhes, assegurando que as conversações estão em curso.

“A Total já comunicou bastante e reúne-se regularmente com as autoridades moçambicanas. Penso que lhes cabe a elas dizerem quais são os seus problemas e qual é o seu calendário industrial depois de tomarem uma decisão. Não posso falar por eles, mas o que posso dizer é que temos oportunidade de termos um grande investidor num setor fundamental para Moçambique e para a energia. Temos 65 empresas francesas que trabalham em Moçambique, que investem em Moçambique e é esse número que queremos aumentar”, realçou.