Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Rússia atinge terminais de grãos da Ucrânia pelo 4º dia e exercita apreensão de navios

A Rússia atacou instalações de exportação de alimentos da Ucrânia pelo quarto dia consecutivo nesta sexta-feira e fez exercícios de apreensão de navios no Mar Negro em uma escalada do que os líderes ocidentais dizem ser uma tentativa de escapar das sanções ameaçando uma crise alimentar global.

Os ataques diretos aos grãos da Ucrânia, uma parte fundamental da cadeia alimentar global, seguiram-se a uma promessa de Kiev de desafiar o bloqueio naval da Rússia em seus portos de exportação de grãos após a retirada de Moscovo nesta semana de um acordo de corredor marítimo seguro mediado pela ONU.

“Infelizmente, os terminais de grãos de uma empresa agrícola na região de Odessa foram atingidos. O inimigo destruiu 100 toneladas de ervilhas e 20 toneladas de cevada”, disse o governador regional Oleh Kiper no aplicativo de mensagens Telegram.

Duas pessoas ficaram feridas, afirmou ele. Fotografias divulgadas pelo ministério de emergências mostraram um incêndio queimando entre prédios de metal amassados ​​que pareciam ser depósitos e um veículo de combate a incêndio gravemente danificado.

Moscovo descreveu os ataques como uma vingança por um ataque ucraniano em uma ponte construída pelos russos para a Crimeia – a península ucraniana do Mar Negro anexada ilegalmente por Moscovo em 2014.

A Rússia disse que consideraria todos os navios que se dirigem para as águas ucranianas como potencialmente transportando armas a partir de quinta-feira, no que Washington chamou de sinal de que pode atacar navios civis. Kiev respondeu mais tarde emitindo um aviso semelhante sobre navios com destino à Rússia.

O Ministério da Defesa da Rússia afirmou nesta sexta-feira que sua frota do Mar Negro praticou disparo de foguetes contra “alvos flutuantes” e apreensão de navios. O embaixador de Moscovo em Washington negou qualquer plano de ataque a navios.

Os ataques à infraestrutura de exportação de grãos e a ameaça percebida ao transporte marítimo elevaram os preços dos contratos futuros de trigo de Chicago na sexta-feira para seu maior ganho semanal desde a invasão de fevereiro de 2022, com os comerciantes preocupados com a oferta.

O Conselho de Segurança da ONU se reunirá mais tarde para discutir as “consequências humanitárias” da retirada da Rússia do acordo do corredor seguro, que grupos de ajuda dizem ser vital para conter a fome crescente em uma série de países mais pobres.

Moscovo diz que não participará do acordo de grãos sem melhores condições para suas próprias vendas de alimentos e fertilizantes.

Líderes ocidentais acusam a Rússia de tentar afrouxar as sanções impostas à invasão da Ucrânia, que já isentam as exportações de alimentos russos.