Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Ucrânia: ataque russo contra Odessa faz dois mortos e mais de 20 feridos

A cidade de Odessa, no sul da Ucrânia, voltou a ser alvo de bombardeamentos russos na noite passada. Pelo menos duas pessoas perderam a vida e mais de 20 ficaram feridas, de acordo com as autoridades ucranianas. Para além disso, uma catedral ortodoxa, património cultural da UNESCO, foi parcialmente destruída.

A estratégica cidade de Odessa, onde se localizam vários depósitos de cereais, voltou a ser atacada pela Rússia com mísseis, na noite de sábado para domingo. Os bombardeamentos fizeram pelo menos dois mortos e 22 feridos, onde se incluem quatro crianças, de acordo com números avançados por Kiev.

Na manhã de hoje, os estragos são visíveis em Odessa. A Catedral da Transfiguração, localizada no centro histórico da cidade, e protegida pela UNESCO, foi bombardeada durante a noite e ficou parcialmente destruída. O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia já disse, na sua conta de Twitter, que se trata de um “crime de guerra que nunca será esquecido ou perdoado”.

O Presidente ucraniano também já reagiu ao e prometeu retaliar. Volodymyr Zelensky diz que “não pode haver desculpa para o mal russo” e que a Rússia sentirá essa retaliação.

“Mísseis lançados contra cidades pacíficas, contra prédios residenciais, contra uma catedral. Não pode haver desculpa para o mal russo. Como sempre, esse mal vai perder. E definitivamente haverá uma retaliação aos terroristas russos devido [aos ataques a] Odessa. Eles vão sentir essa retaliação”, garantiu o chefe de Estado da Ucrânia.

Josep Borrel, chefe da diplomacia europeia, também já se pronunciou sobre o ataque a Odessa e diz tratar-se de outro “crime de guerra” do Kremlin.

“O terror contínuo dos mísseis russos contra Odessa, classificada pela UNESCO, é mais um crime de guerra do Kremlin, que demoliu também a catedral ortodoxa, considerada património mundial”, disse o responsável, na sua conta de Twitter.

Para além da catedral, os mísseis russos também “causaram estragos em infraestruturas portuárias e em pelo menos seis residências, incluindo blocos de apartamentos”, disse o exército ucraniano.

Moscovo também já reagiu às notícias das últimas horas. O exército russo negou que o ataque contra Odessa tivesse como alvo a catedral, mas diz ter interceptado os locais que estavam a ser usados pela Ucrânia para “preparar actos terroristas” contra Moscovo.

Recorde-se que este ataque acontece um dia depois das autoridades pró-russas da região da Crimeia terem acusado a Ucrânia de ter efectuado um ataque com drones, que provocou a explosão de um depósito de munições nesta península ucraniana anexada por Moscovo, de forma ilegal, em 2014.

De salientar que estes ataques russos contra a cidade de Odessa têm vindo a intensificar-se depois de Moscovo ter decidido suspender a sua participação no acordo de exportação de cereais do Mar Negro, no início da semana passada.

Vladimir Putin encontra-se com Alexander Loukachenko
O Presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, encontrou-se, este domingo, com o homólogo russo, Vladimir Putin, em São Petersburgo, na Rússia. Trata-se do primeiro encontro desde que o aliado de Moscovo ajudou a por fim à rebelião do grupo de mercenários Wagner, que ocorreu no mês passado.

O fiel aliado de Putin falou esta manhã sobre os elementos do grupo Wagner, que se encontram na Bielorrússia, e disse que estes permaneceriam no centro do país, tal como havia sido combinado com Putin, de acordo com informações veículadas pela agência de notícias France-Presse.