Brazil

Com presença de Mourão, empresários reagem a ofensiva do clã Bolsonaro e lançam estudo para defender negócios com a China

Conselho Empresarial Brasil-China lança estudo para formular estratégia de longo prazo considerando o país asiático como referência e oportunidade de desenvolvimento para o Brasil. Evento contará com a participação do vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, que faz parte da Comissão Sino-Brasileira

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Estudo Conselho Empresarial Brasil-China propõe a realização de um estudo e a adoção de estratégias para demonstrar que o maior parceiro comercial do Brasil seja visto pelos brasileiros não como um competidor e uma ameaça, mas como referência e oportunidade, em especial para diversificar a pauta de exportação e absorver novas tecnologias.

As “Bases para uma Estratégia de Longo Prazo do Brasil para a China”, serão divulgadas nesta quinta-feira (26) pelo Conselho Empresarial Brasil-China em um evento que prevê a presença do vice-presidente Hamilton Mourão, que em diferentes ocasiões já divergiu do tratamento incorreto de Jair Bolsonaro, do seu clã e do Itamaraty sobre a China. Mourão faz parte da Comissão Sino-Brasileira. 

O conselho é uma entidade que reúne diplomatas e empresários que já mantêm relações com a China ou têm interesse no parceiro comercial. Entre os associados estão instituições financeiras e empresas como Banco do Brasil, Bradesco, BRF, CPFL Energia, Embraer, Itaú e Vale, informa o jornalista Eduardo Cucolo na Folha de S.Paulo.

O lançamento do estudo ocorre num momento em que Jair Bolsonaro, seu filho Eduardo, presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados, e o Itamaraty estão em campanha contra a China, seguindo os passos do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que deixará o cargo em janeiro próximo. 

A China tem sido apontada pelo governo brasileiro como uma ameaça, no contexto de uma disputa comercial e tecnológica mais acirrada com os Estados Unidos.

Na última segunda-feira (23), Eduardo Bolsonaro postou na sua conta do Twitter que o programa Clean Network, ao qual o Brasil declarou apoio, protege seus participantes de invasões e violações. Segundo ele, a iniciativa afasta a tecnologia da China e evita a sua espionagem. As declarações do filho de Jair Bolsonaro motivaram uma resposta dura por parte da embaixada da China. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Football news:

Udinese sign Fernando Llorente, Cutrone and sell Lasagna to Verona for 10 million euros
Monaco have re-loaned Onyekuru to Galatasaray
Karavaev on the Eredivisie: The fans are used to goals. Even if the team lost 2:3, they are happy
Mourinho on Lampard's resignation: Football is cruel, especially modern
Dzeko denied West Ham. Striker wants to leave Roma in the winter
Milan wants to sign Porto midfielder Otavio for free in the summer
Manchester United may loan Lingard to West Ham