Brazil

Haddad no bloco Baixo Augusta: "Não há como o obscurantismo vencer a arte"

"O Carnaval sempre teve uma tradição política e ela tende a crescer. Toda manifestação artística vai direto nos pontos fracos da sociedade", afirmou Fernando Haddad, que participou do bloco Baixo Augusta

247 - O ex-prefeito Fernando Haddad (PT) participou do desfile do bloco Baixo Augusta e destacou que o Carnaval sempre teve como característica a contestação política e destacou a importância da manifestação popular frente a esse ambiente obscurantista.

"O Carnaval sempre teve uma tradição política e ela tende a crescer. Toda manifestação artística vai direto nos pontos fracos da sociedade", afirmou Haddad, que estava acompanhado de sua esposa, Ana Estela. "O Carnaval de rua de São Paulo começou simultaneamente a esse recrudescimento da intolerância, da censura e da perseguição", disse ele, em entrevista ao UOL.

"Não há como o obscurantismo vencer a arte. Não precisávamos estar passando por isso, mas no final a gente sabe quem ganha: ganha a liberdade", disse o ex-prefeito.

Questionado sovre uma possível pressão para que seja candidato à Prefeitura de São Paulo, Haddad negou. "É uma pressão via mídia, não é real. Não me ligam para falar sobre isso", contou.

Haddad estava com uma tatuagem temporária onde estava escrito: "Lula inocente! Eu não!", uma ironia relacionada à malícia do Carnaval.