Brazil
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Idoso morre atropelado enquanto atravessava faixa de pedestre, em Taguatinga

Querido pelos moradores da Chaparral, em Taguatinga, Adão Crispim era considerado um líder comunitário da região. O idoso, de 83 anos, morreu atropelado ao atravessar uma faixa de pedestre na QNL 11 de Taguatinga. O motorista, um jovem de 18 anos, não tinha carteira de habilitação e foi autuado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

Adão exercia a profissão de treinador de futebol. Ontem, por volta das 8h30, ele estava a caminho de um campo para treinar as crianças. Na faixa, estendeu a mão e atravessou, mas foi atingido por um Meriva/GM prata, conduzido por um estudante de engenharia de software. Os serviços de emergência do Corpo de Bombeiros foram acionados imediatamente, mas a vítima não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Socorristas constataram politraumatismo e traumatismo cranioencefálico grave.

O jovem se dirigia para a faculdade. Ao Correio, o delegado Josué Pinheiro, da 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro), informou que ele tinha passado na prova para tirar a carteira de habilitação, mas o processo ainda não estava deferido e, por isso, não tinha autorização para dirigir. O carro que usava é da mãe, que confessou ter emprestado para o filho, mesmo sabendo que não era permitido. Ela também foi autuada no artigo 310 do Código Brasileiro de Trânsito (CTB).

Velocidade alta

Testemunhas relataram à polícia que o jovem conduzia o veículo acima da velocidade permitida da via (50km/h). A polícia aguarda o resultado do laudo pericial para constatar a alta velocidade. "Ele (motorista) foi autuado por homicídio culposo e, por ser na faixa de pedestre e por estar inabilitado, não houve fiança", destacou o delegado. O estudante passou pelo teste do bafômetro, mas o resultado foi negativo. Ele passará por audiência de custódia hoje. 

Após o acidente, o jovem não desceu do veículo e entrou em choque. O filho da vítima chegou ao local e instigou um linchamento, mas o estudante foi levado à delegacia pela Polícia Militar. De acordo com o Departamento de Trânsito (Detran), a faixa que o idoso usou para atravessar a via estava pintada e havia placas no local de indicação.

Procurado pelo Correio, o advogado Samuel Magalhães, que representa a família da vítima, entendeu que houve homicídio doloso (dolo eventual). "Quem dirige sem habilitação assume o risco de matar alguém. A punição tem que ser dura e exemplar. O idoso saiu de sua residência e terminou sendo assassinado, na faixa de pedestre, por esse irresponsável", afirmou.

A Polícia Civil (PCDF) e a Polícia Militar (PMDF) ficaram responsáveis pela perícia do local do acidente, em Taguatinga, que chocou a população
A Polícia Civil (PCDF) e a Polícia Militar (PMDF) ficaram responsáveis pela perícia do local do acidente, em Taguatinga, que chocou a população (foto: Divulgação/CBMDF)

Outros casos

Na Epia, outro incidente assustou a comunidade. A vítima, identificada como A.J.D, não teve a idade revelada. Ela foi atingida por um veículo Kia Sportage, de cor branca, conduzido por um motorista identificado como M. A. D. F, de 58 anos. A vítima foi encontrada pelos socorristas caída na pista.

Por apresentar um corte na cabeça, várias escoriações pelo corpo e estar consciente, mas desorientado, o homem atropelado foi encaminhado ao Hospital de Base. O condutor saiu ileso. Uma das faixas de rolamento precisou ser interditada durante o atendimento. O Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF) ficou responsável pelo local. Segundo o Detran-DF, de janeiro a junho deste ano foram registradas 37 mortes de pedestres no trânsito, provocadas por 36 atropelamentos.

* Texto produzido com a participação de Carlos Silva, estagiário sob a supervisão de Hylda Cavalcanti


Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br