logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo
star Bookmark: Tag Tag Tag Tag Tag
Brazil

Juiz inocenta Lula e Dilma em acusação de “quadrilhão”

Jornal GGN – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu absolvição sumária no caso denominado “Quadrilhão do PT”. A decisão é do juiz Marcus Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara do Distrito Federal, que inocentou Lula, a ex-presidente Dilma Rousseff e mais três pessoas.

“A descrição dos fatos vista na denúncia não contém os elementos constitutivos do delito previsto no artigo 2, da Lei nº 12.850/2013 (organização criminosa). (…) A narrativa que encerra não permite concluir, sequer em tese, pela existência de uma associação de quatro ou mais pessoas estruturalmente ordenada, com divisão de tarefas, alguma forma de hierarquia e estabilidade”, apontou o juiz.

A denúncia de 2017 havia sido apresentada pelo ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal (STF) e acusava os dois ex-presidentes, os ex-ministros Antonio Palocci e Guido Mantega e o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, por suposta organização criminosa na estatal brasileira Petrobras, BNDES e outros setores da administração pública.

O caso havia sido encaminhado também à primeira instância do Distrito Federal. Nas mãos do juiz Marcus Vinicius Reis Bastos, os réus foram absolvidos. Em sua decisão, o magistrado explicitou que houve a “tentativa de criminalizar a atividade política”. A ação havia sido chamada de “quadrilhão”.

Nas redes sociais, o advogado Cristiano Zanin Martins comemorou: “Perante um juiz imparcial, conseguimos hoje a absolvição sumária de Lula. O magistrado de Brasília indicou a ‘tentativa de criminalizar a atividade política’ pela descabida acusação que ficou conhecida como “quadrilhão” – que faz parte do Lawfare contra Lula”.

“Adota determinada suposição — a da instalação de ‘organização criminosa’ que perdurou até o final do mandato da ex-presidente Dilma Rousseff — apresentando-a como sendo a ‘verdade dos fatos’, sequer se dando ao trabalho de apontar os elementos essenciais à caracterização do crime de organização criminosa (tipos objetivo e subjetivo), em aberta infringência ao artigo 41 da Lei Processual Penal”, escreveu, ainda, o magistrado.

Leia a íntegra da decisão:

juiz-absolve-cupula-pt

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Themes
ICO