Brazil
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Motocicleta com mais de R$ 641 mil em multas é apreendida em Taguatinga

Uma motocicleta, com mais de R$ 641 mil em multas, foi apreendida pela Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), na noite dessa sexta-feira (29/9), na QI 22 de Taguatinga. Segundo a corporação, o veículo tinha mais cerca de 1,6 mil infrações de trânsito.

Policiais militares da Rondas Ostensivas de Trânsito do 2º Batalhão (Rotran 22) avistaram um motociclista se preparando para sair com uma motocicleta e consultaram a placa do veículo. Ao perceberem os débitos, os policiais fizeram a abordagem e acionaram o guincho para condução do veículo ao depósito do Detran.

A motocicleta possui R$ 641.834,07 em débitos confirmados, podendo ultrapassar 1 milhão, em consulta feita pelos militares.

Maiores infrações no DF

Segundo levantamento do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF), de janeiro a maio deste ano, as infrações mais flagradas no DF foram: exceder o limite de velocidade, transitar em faixa exclusiva, estacionar em local proibido, usar o celular ao volante, avanço de semáforo, deixar de usar o cinto de segurança e alcoolemia — com destaque para os dois primeiros itens que, em comparação ao mesmo período do ano passado, praticamente dobraram.

A percepção de que não serão pegos praticando infrações de trânsito é algo que pode induzir os motoristas a realizarem esses pequenos delitos, como explica o professor de engenharia civil do Centro Universitário de Brasília (Ceub) Luango Ahualli.

“Isso indica que é necessário repensar a forma como nossos condutores são preparados, buscando conscientizá-los sobre as consequências e os riscos envolvidos na prática de infrações no trânsito”, analisa a especialista.

*Estagiário sob supervisão de Thays Martins

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br