Brazil

Sabatina: Bruno Reis diz que criará 50 mil empregos com incentivos fiscais à empresas

Fechando a série de sabatinas virtuais do CORREIO das Eleições 2020, o candidato Bruno Reis (DEM) apresentou, nesta sexta-feira (23), as propostas que pretende implementar em Salvador, caso seja eleito no pleito deste ano. Atual vice-prefeito da cidade, ele definiu que sua pauta prioritária será a geração de emprego e apresentou ainda projetos voltados para as áreas de saúde e educação no município. Durante uma hora, Bruno Reis respondeu às perguntas de jornalistas, especialistas e leitores.

Em resposta à pergunta inicial sobre o que julga mais urgente na capital e por que ele se considera o melhor candidato para resolver, Bruno Reis disse que sua principal preocupação é o desemprego que assola a capital. Nesta sexta, o IBGE apontou que a Bahia está com a maior taxa de desemprego do país, atingindo quase 20%. O postulante prometeu criar, de imediato, 50 mil empregos a partir de parcerias com o setor privado, que será estimulado com incentivos e isenções fiscais de impostos como IPTU e TFF. 

Segundo ele, projetos que já estão em processo de implantação, como o Polo da Economia Criativa, deverão despertar os negócios na área de moda, design, gastronomia e produção audiovisual. O candidato ainda citou o Centro Cultural Casa da Música, o famoso casarão dos azulejos azuis no Comércio, que também deve promover atividades de economia criativa. 

“Me considero o mais preparado [para ser o futuro prefeito] por minha experiência, pelos diversos cargos que ocupei. Comecei como estagiário na Câmara Municipal e hoje sou o atual vice-prefeito, conheço essa cidade como ninguém e estou atualizado dos seus problemas. Quero colocar minha força de trabalho e energia para fazer com que Salvador continue crescendo”, disse.

Veja na íntegra como foi a sabatina com o candidato:

Membro da gestão do prefeito ACM Neto, que está encerrando o mandato com 85% de aprovação popular — segundo pesquisa Ibope/TV Bahia divulgada neste mês —, Bruno foi também questionado sobre qual diferença será capaz de fazer à frente da administração da capital. O candidato disse que agora a cidade pode “sonhar sonhos mais ambiciosos” e citou programas que pretende implantar. 

“Muito foi feito nesses oito anos, mas temos consciência de que há muito a ser feito, não tínhamos como resolver problemas acumulados ao longo de 470 anos. Salvador ocupava as últimas posições em praticamente todas as áreas, mudamos essa realidade, mas ainda não chegamos no patamar que queremos. Foi difícil chegar até aqui, mas agora estamos em outro patamar e podemos sonhar sonhos mais ambiciosos”, comentou.

Bruno Reis mencionou que criará a primeira maternidade de Salvador, uma clínica da dor, além de mais um centro de reabilitação para atender pessoas com deficiência na região de Cajazeiras. O candidato prometeu ainda universalizar o acesso às creches, aumentando as aulas em tempo integral. Ele garantiu que sua gestão terá um investimento “pesado” ainda na criação do Programa Vida Nova, direcionado à pessoas de baixa renda, em especial mulheres chefes de família.

Vacina e relações políticas

Algumas prefeituras e governos estaduais do país têm acompanhado e se empenhado na corrida para a aquisição de uma vacina contra a covid-19. Condutor da sabatina, o editor de Economia do CORREIO, Donaldson Gomes, quis saber o que o candidato pensa sobre o assunto e qual a sua ideia para a distribuição do imunizante na cidade.

“Rezo todo dia para essa vacina chegar, não importa se ela é chinesa, russa, de onde é, o importante é que ela seja aprovada pela Anvisa, pelo Ministério da Saúde, e que tenha eficácia. O que nós, homens públicos, temos que fazer é estimular a população a se imunizar, e não politizar um tema de saúde, científico. Temos que fazer uma campanha para que todos se imunizem para a gente sair o mais rápido dessa crise”, afirmou. 

O prefeiturável indicou que a experiência adotada na imunização contra a gripe H1N1 neste ano, com a criação de drive thrus e estabelecimento de horários para pessoas prioritárias, irão nortear a futura distribuição do imunizante contra o coronavírus. “A minha preocupação é com a chegada da vacina. Com a imunização, a prefeitura tem estrutura e know how. Vamos fazer operação de guerra e estabelecer os critérios que com certeza vai começar pelo público prioritário, que são as pessoas de idade avançada e com comorbidades, mais sensíveis ao coronavírus”, disse.

Trabalhando juntos nessa corrida para enfrentar a pandemia, ACM Neto e o governador Rui Costa, de partidos historicamente rivais na política, desenvolveram uma parceria que vem sendo reconhecida e elogiada. O candidato Bruno Reis disse que vê de maneira positiva essa aproximação e considera que quem ganhou com essa colaboração foram as pessoas. 

“A gente está enfrentando o coronavírus, que deixou o mundo de joelhos, tínhamos que nos unir para enfrentar um adversário comum a todos. A campanha [das eleições municipais] começou, agora está cada um com seus candidatos, defendendo suas propostas, pontos de vista. Vou ter a melhor relação possível com o governador e com o presidente, eles foram eleitos pelo povo e vão governar até 2022. Tenho um conjunto de projetos prontos e vou levar a eles para pedir apoio. Se tiver, ótimo, mas Salvador hoje anda com as próprias pernas, não é mais subserviente, tem recursos próprios. E essa autonomia, independência, nós vamos garantir”, assegurou.

Educação: mais creches e tempo integral

No bloco da pergunta de especialistas, o último sabatinado respondeu a questão de Marlene dos Santos, professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia (Faced/Ufba), que quis saber qual o projeto do candidato para as crianças de zero a seis anos e para os profissionais da rede municipal de ensino. Em atenção à pergunta, Bruno garantiu que a faixa etária dos pequenos será prioridade em sua gestão para que a meninada possa ser alfabetizada até, no máximo, os seis anos. O candidato prometeu ainda a criação de um planetário, um oceanário e um centro de esportes olímpicos.

Segundo ele, o próximo desafio, caso seja eleito, será universalizar o acesso a creches e pré-escolas, ampliando as aulas em tempo integral para que as mães possam deixar as crianças nas instituições enquanto trabalham. Qualificamos toda a nossa rede, oferecemos cinco refeições, material didático próprio, a criança recebe fardamento, kit escolar e nossos professores estão motivados. Implantamos um plano de carreira e salários de professores, inclusive destinando parte [do tempo] para a jornada que ele vai se dedicar a planejar as aulas”, pontuou. 

Segundo ele, dos 30 mil servidores municipais existentes em Salvador, seis mil foram convocados na gestão de ACM Neto. Ele assegurou que os professores aprovados no último concurso serão chamados.

Inovação e internet pública

Há pouco mais de dois meses, a prefeitura aprovou a Lei da Política Municipal de Inovação, que assegura incentivos fiscais para a indústria criativa. Bruno Reis disse que essa legislação permitirá que startups, incubadoras e empresas de processamento de dados possam se firmar na capital, o que demandará capacitação de mão de obra para empregar neste setor. A lei garantiu benefícios como o deferimento do ISS por dois anos, redução de IPTU e isenção de TFF para quem escolher se instalar no bairro do Comércio.

“Nossa ideia no Centro Histórico é fazer um ecossistema de inovação, onde possam se instalar, a partir do Hub Salvador, diversas empresas com essa vocação. Esse é o emprego do futuro, que já chegou, e eles têm empregos disponíveis, por isso, precisamos qualificar nossa mão de obra e vamos criar a Escola Digital, o Centro Municipal de Inteligência Pública e também o Hub de Tecnologia e Inovação do Subúrbio para levar um gás para a juventude”, afirmou ele, garantindo ainda que haverá internet pública em diversas partes de Salvador, chamadas de infovias — um projeto que já tem recurso garantido através de operação de crédito contratada com o banco latino-americano CAF.

Mobilidade

O candidato disse que está em seus planos, além da continuidade da segunda e terceira etapa da obra do Bus Rapid Transit (BRT), a implantação ainda de um sistema similar, o Bus Rapid Service (BRS), na Orla, com vias exclusivas para ônibus, que será integrado aos demais modais, como o metrô e o VLT do Subúrbio, prometido pelo governo estadual.

“Se o estado conseguir tirar do papel o monotrilho, vêm aí mais duas modalidades, BRT e VLT, que vão conectar toda a cidade. O que cabe à prefeitura já tem nossos recursos assegurados e espero chegar ao final com 100% dos ônibus com ar-condicionado”, disse.

PERGUNTAS DAS ENTIDADES

Sabatina foi conduzida remotamente pelo editor Donaldson Gomes (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

No bloco de perguntas enviadas pelas entidades, foram sorteados três questionamentos: de Paulo Villa, presidente da Associação dos Usuários dos Portos da Bahia (Usuport); da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb) e do Grupo de Apoio à Criança com Câncer (GACC-BA).

A Associação dos Usuários dos Portos da Bahia (Usuport) perguntou: Qual a sua proposta para desenvolver serviços de logística na cidade, com base no principal elemento da cadeia, que é o incomparável potencial do Porto de Salvador?

Bruno Reis: “O Porto de Salvador está em duplicação, as obras já estão em execução e por isso vai dar margem para a gente fazer, ali na região de Valéria, na chegada da cidade, onde temos áreas disponíveis, estimular a implantação de um polo de logística. Esse polo é para ter locais para armazenar contêineres, são centros de distribuição. Salvador perdeu [o centro de distribuição da] Amazon para Lauro de Freitas porque lá dá incentivos fiscais mais atraentes. Vamos trabalhar para que mais hubs venham para cá, a prefeitura vai dar a infraestrutura e os estímulos necessários. A gente está nas margens da BR-324, que é estratégica, bem localizada. Sabemos que Salvador tem infraestrutura melhor do que todas as cidades da RMS porque é aqui onde reside a maioria dos profissionais. O que precisamos é que o emprego seja gerado em Salvador e as notas sejam emitidas aqui para isso contribuir com a arrecadação do ICMS. As Casas Bahia, por exemplo, tem um centro fora de Salvador, então quem compra uma geladeira no Shopping Barra, por exemplo, recebe nota fiscal de Camaçari porque o centro está lá. Estando aqui em Salvador essa arrecadação incrementa nossas finanças e permite que possamos fazer mais investimentos". 

Paulo Villa devolveu o que pensa: Na logística, nada substitui o porto para chamar negócios de logística. Se não tiver um porto forte, eficaz, barato para as empresas usuárias, você não consegue atrair nada. A gente gostaria de um comprometimento com o Porto de Salvador, que é um equipamento que não existe igual no Brasil, dentro da Baía de Todos os Santos, com amplidão e profundidades naturais. Está dentro da cidade, gera muitos empregos. Na minha visão, o fator que pode transformar esta cidade chama-se Porto de Salvador. Tem um potencial enorme de ser explorado e atualmente não é. A duplicação é bem-vinda, mas já perdemos aí 15 anos de competitividade, pelo menos, por não ter um segundo berço de contêineres. Agora vamos ter, dobrou a capacidade de atracar navios, mas não dobrou ainda a capacidade do terminal.

A Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb) enviou a questão: Embora Salvador seja mais conhecida pelas diversas atividades de serviços, notadamente o turismo, há em nossa cidade, de acordo com dados de 2020 do Guia Industrial FIEB, cerca de 1.500 mil indústrias, que geram mais de 80 mil empregos diretos com carteira assinada e um múltiplo desse número de empregos indiretos. Gostaríamos de saber do candidato suas propostas para uma nova política de atração e manutenção das indústrias de Salvador, notadamente sobre a questão do IPTU, com um possível tratamento diferenciado para esse imposto, bem como medidas de financiamento de dívidas dessas indústrias.

Bruno Reis: "As dívidas estão aí com o Programa de Parcelamento Incentivado (PPI) em curso e, para todas elas se regularizarem perante o município, estamos dando, pela primeira vez, desconto no valor principal do imposto municipal e isenção de todas as multas e juros. Além de deferimento de imposto para as atividades mais impactadas e estímulos fiscais para atividades como indústrias criativas que queiram se instalar. Vamos debater isso criando o Fórum Empresarial, com a Fieb, Fecomércio, Faeb, todo o segmento produtivo da cidade para discutir uma política de estímulo fiscal com base em geração de emprego. Estamos à disposição para deduzir IPTU e taxas que caibam à prefeitura, se for calculado na base de geração de emprego: X empregos gerados, X desconto. Entramos juntos nessa crise e vamos sair juntos, com ideias, inovação e poder público fazendo sua parte. Minha ideia é criar esse fórum e nos reunir pelo menos uma vez por mês para definirmos os caminhos para fortalecer a economia da cidade"

Grupo de Apoio à Criança com Câncer (GACC-BA) questionou: Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), a doença já é a primeira causa de morte entre crianças e adolescentes de 1 a 19 anos. No programa de governo, quais as propostas para melhorar as condições de acesso e apoio ao tratamento das crianças e adolescentes carentes com câncer do município?

Bruno Reis: "A responsabilidade da prefeitura é focada na atenção básica. A partir do momento que construirmos o hospital municipal, que ampliamos as UPAS, que contratualizamos com a rede para ter serviços de consultas especializadas e exames, quando colocamos os multicentros, já temos parceria com instituições para dar apoio a pacientes com câncer, a exemplo do [Hospital] Aristides Maltez. Estamos abertos para parcerias com o GACC para que possa ser dado um apoio de acompanhamento com psicólogos, assistente social, suporte para a pessoa ter condições de realizar o tratamento, porque não é só a oferta, é fazer o paciente chegar ao tratamento". 

Ao fim da sabatina, o candidato agradeceu a oportunidade de participação e deixou suas considerações pedindo o voto do leitor. "Quero ser prefeito para a cidade continuar avançando. Tenho orgulho de fazer parte dessa gestão, que priorizou as pessoas mais carentes. Vamos avançar na saúde, educação, habitação, transporte. Tenho consciência de que ainda há muito a ser feito. Ando essa cidade diariamente e quero trabalhar muito. Amo Salvador e irei fazer à frente da prefeitura o trabalho da minha vida", encerrou.

A sabatina é realizada pelo jornal CORREIO e tem apoio do E Estúdio e ITS Brasil.

Football news:

Egypt's al-Ahly won the African Champions League for the 9th time, defeating Zamalek in the final in the Cairo Derby
Tottenham's Vinicius is the Europa League player of the week. He scored 2+1 in the match against Ludogorets
Ex-President of Barca Laporta will take part in the new elections
Antonio Cabrini: Maradona would still be alive if he played for Juventus. The love of Naples was strong but unhealthy
Ferguson on Rashford's charity: Fiction for a young man. He should give me some advice
A Preston player who twice touched an opponent's genitals was disqualified for 3 matches for aggressive behavior
Atalanta Director: everything is fine with Miranchuk, there are no symptoms of coronavirus