Brazil
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Xangai vai confinar milhões novamente para testes em massa de covid-19

Imagem: Teste para deteccao para covid 19 Xangai vai confinar milhões novamente para testes em massa de covid-19
Teste para detecção para covid-19 – Reprodução

A cidade de Xangai, centro comercial da China, vai confinar milhões de pessoas para testes em massa de covid-19 neste fim de semana, apenas dez dias depois de suspender seu exaustivo lockdown de dois meses, inquietando moradores e levantando preocupações sobre o impacto nos negócios.

Para impedir um surto mais amplo após descobrir alguns casos na comunidade, incluindo um grupo rastreado em popular salão de beleza, as autoridades determinaram testes de PCR para todos os moradores de 14 dos 16 distritos de Xangai.

Cinco dos distritos disseram que os moradores não seriam autorizados a deixar suas casas enquanto os testes fossem realizados. Um aviso divulgado pelo distrito de Changning descreveu a exigência de ficar em casa como “gerenciamento fechado” da comunidade que está sendo testada.

O alarme mais recente desencadeou uma corrida aos supermercados e plataformas online para estocar alimentos, já que os usuários do Weibo, semelhante ao Twitter da China, expressaram medo de que pudessem ficar presos por mais tempo, tendo apenas começado a voltar ao trabalho depois que o último lockdown foi suspenso, em 1º de junho.

Algumas áreas permaneceram isoladas ou retornaram rapidamente ao confinamento devido a infecções e seus contatos próximos.

“O complexo residencial próximo ao meu já foi fechado”, disse Zhang Jian, corretor de imóveis, 34 anos.

“Se houver teste em massa e outro caso positivo no complexo, isso terá sério impacto em nossa vida.”

Embora a taxa de infecção da China seja baixa para os padrões globais, o presidente Xi Jinping intensificou a política de tolerância zero contra a covid-19, que as autoridades dizem ser necessária para proteger idosos e o sistema médico, mesmo que outros países tentem viver com o vírus.