Brazil

XP lança primeiro ETF de fundos imobiliários do Brasil; cota inicial será de R$ 10

Produto vai replicar o desempenho da carteira teórica do Ifix e terá taxa de administração de 0,30% ao ano

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Infomoney - A XP Investimentos lança nesta segunda-feira (30) o primeiro ETF (fundo de índice) de fundos imobiliários do Brasil.

Denominado Trend ETF Ifix, o produto irá replicar o desempenho do Ifix, índice que acompanha a trajetória dos principais FIIs negociados na B3. Com taxa de administração de 0,30% ao ano, o preço inicial da cota será de R$ 10, com lote mínimo de uma unidade.

“Recebemos muitas perguntas de clientes sobre como acessar a indústria de forma segura. E a diversificação dentro do índice traz segurança para o investidor, que muitas vezes também não tinha o tíquete mínimo necessário”, diz Leon Goldberg, chefe de relacionamento institucional com gestoras da XP.

Com relação ao pagamento de dividendos, eles serão automaticamente reinvestidos no ETF. Não há o benefício de isenção tributária como ocorre com a distribuição de dividendos feita diretamente para pessoas físicas, caso determinadas regras sejam atendidas.

Nesses casos, é preciso que as cotas sejam negociadas em bolsa ou em mercado de balcão organizado; que o fundo tenha, no mínimo, 50 cotistas; e que nenhum cotista detenha 10% ou mais do total de cotas, nem receba rendimento superior a 10% do total de rendimentos do FII.

O investidor do ETF pagará, portanto, alíquota de 20% no momento de venda, sobre o ganho de capital.

Danilo Gabriel, gestor da estratégia, defende que o reinvestimento dos dividendos no fundo é positivo para o crescimento do patrimônio dos investidores e que, no longo prazo, compensa a falta do benefício tributário sobre os dividendos.

Diversificação

Atualmente, o Ifix é composto por 81 fundos imobiliários, com a maior parte (28%) do segmento de recebíveis imobiliários. Na sequência, aparecem os fundos de lajes corporativas, com uma fatia da ordem de 20%.

Segundo dados da B3, os cinco fundos com maior peso no índice, em 27 de novembro, eram Kinea Renda Imobiliária (KNRI11), com 5,2%, Kinea Índice de Preços (KNIP11), com 4,5%, Kinea Rendimentos Imobiliários (KNCR11), com 4,2%, CSHG Logística (HGLG11), com 3,75%, e XP Log (XPLG11), com participação de 3,2%.

Gabriel destaca que, com apenas uma cota do ETF, o investidor consegue ter acesso a mais de cinco mil imóveis, por meio dos FIIs que compõem a carteira teórica do índice – rebalanceada a cada quatro meses.

“Os dez maiores fundos do Ifix representam apenas 35% do fundo. É um produto completo, bem diversificado e permite a exposição ao mercado imobiliário brasileiro com um único ativo”, afirma.

Segundo Gabriel, a demora na chegada de um ETF para a classe é justificada por uma constituição do Ifix que não era 100% replicável, uma vez que o portfólio possuía muitos ativos ilíquidos na carteira, com um total de FIIs que superava os cem fundos.

O lançamento do “Trend ETF Ifix” ocorre em meio ao crescimento do mercado de fundos imobiliários em um ambiente de juros baixos, que têm levado os investidores brasileiros a buscarem opções mais rentáveis na renda variável.

Com um mercado de R$ 119 bilhões, a classe tinha, até outubro, 1,1 milhão de investidores – um aumento da ordem de 72% no ano.

A partir desta segunda-feira, o mercado terá ainda a liberação do aluguel de cotas de fundos imobiliários, que, segundo a XP, deve contribuir para o aumento da liquidez do mercado.

No ano, o Ifix acumula perdas de 12,1% até sexta-feira (27). Em 12 meses, o desempenho também é negativo, em 2,3%.

Indústria de ETFs no Brasil

Há 16 anos no Brasil, o mercado de ETFs ainda representa uma pequena parcela da carteira dos brasileiros.

Segundo Goldberg, o motivo é a falta de conhecimento e de familiaridade com o operacional de compra dos ETFs. “Vemos muito potencial, porque ainda é um produto pouco explorado, com poucos players no país”, diz. (Saiba mais sobre como investir em ETFs aqui.)

De acordo com a B3, os ETFs no Brasil respondem por um mercado de R$ 32,9 bilhões, com um total de 25 produtos.

Segundo levantamento da XP com base em dados da Anbima, desde 2010, enquanto a indústria local de fundos cresceu a uma taxa média anual próxima de 7,7%, a de ETFs disparou 25%.

“Vemos os mesmos índices sendo replicados [na indústria] e espaço para a democratização. Queremos introduzir os ETFs na carteira dos brasileiros, com tíquete muito acessível, de forma a ganharem a atratividade que merece”, diz Fabiano Cintra, especialista de fundos de investimento da XP.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Football news:

Arthur scored for Juventus for the first time. He is playing his 19th game for the club
Chelsea fans supported Lampard with the We Believe in Frank banner. Then. Now. Always
Real Madrid DIRECTOR Butragueno: Everyone knows what Zidane means to us. Rumors appear when there are no wins
Hertha sacked head coach and managing director after 1-4 away to Werder
Karim Benzema: Real Madrid need a better version of Hazard. He was great at Chelsea and should write history in Madrid
Inter to swap Eriksen to Dzeko. The club wants to sell the midfielder to a club not from Italy, but is afraid of not finding buyers
Ex-agent Modibo Barcelona believed in him, and Jean-Clair thought he was already a phenomenon. Very sorry