Cape Verde
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Look de estilista cabo-verdiana Angela Brito em destaque em revista francesa 

A revista francesa Brune destaca, na sua edição de março, um look da Coleção Estrangeira, da estilista cabo-verdiana Angela Brito, num registo “Vermelho Apaixonante”. A publicação tece grandes elogios à marca de Angela Brito, que há mais de duas décadas reside no Brasil, sem nunca perder a sua essência, a sua ligação à terra, às origens que a têm inspirado ao longo da sua reconhecida carreira, num registo onde a sustentabilidade tem sido uma das preocupações presentes nas suas peças. 

“O mundo de Angela Brito” destaca a revista “Brune”, optando pelas peças em tom “Vermelho Apaixonante”, um dos looks da Coleção Estrangeira, recentemente apresentada no último São Paulo Fashion Week e que conquistou os críticos da especialidade, tendo inclusive como uma das modelos que deram vida às suas criações a conhecida actriz Camila Pitanga.

O talento da estilista cabo-verdiana natural de Santa Catarina de Santiago conquistou assim os editores desta publicação, destacando que Angela Brito é  diretora artística e fundadora da sua marca, criada no Brasil em 2014.

“As suas criações são regularmente ovacionadas como uma das 10 figuras inspiradoras da moda brasileira e considerada uma das 100 personalidades lusófonas e mais influentes do mundo”, enaltece a revista Brune.

O seu estilo, descreve a publicação, funde-se num “diálogo entre a tradição e vanguardismo”, onde a “continuidade e a inovação evoluem, em paralelo”.

Chiques, apuradas e minimalistas

“Suas lembranças insulares, casam-se com as imagens e as histórias dos lugares que a marcaram”, realçam. Esta marca exclusiva, escrevem, é concebida por uma “equipa criativa e engajada, preocupada em produzir, à mão”, as suas peças que descrevem, como “chiques, apuradas, por vezes minimalistas e espectaculares”.

A Brune descreve ainda Angela Brito como uma embaixadora da “diversidade cultural, activista do desenvolvimento sustentável”, privilegiando uma “relação ética entre a produção e a difusão”. “Bravo, Brito!”, aplaudem. 

Dar azo às memórias de Cabo Verde

Conforme o site da marca Angela Brito, a ligação que a estilista, que desde 1994 está radicada no Brasil, mantém com o seu país de origem tem sido sempre valorizada e de “grande importância”, já que suas “construções identitárias e imagéticas partem das memórias que cultivou em seu lugar de origem”.

Em 2020, inclusive, Angela Brito apresentou a colecção “Panu di Terra” na no São Paulo Fashion Week, tendo a questão da identidade como foco.

Contudo a tradição nunca foi uma barreira para a estilista cabo-verdiana que se considera uma “cidadã do mundo”.

Lançou-se a “viver experiências” em outros lugares como Lisboa e Rio de Janeiro, onde atualmente reside, bebendo naturalmente dessas influências, sem perder a base.

“Em sua trajetória, seu desejo pela moda caminhou desde cedo atrelado à busca de se compreender como indivíduo”, destacam.

Apesar de ter estudado e trabalhado na área tecnológica, durante um tempo, a sua auto-realização falou mais alto e em 2014 criou a marca Angela Brito.

Sobre a marca

Ainda segundo o site da estilista, o design é inspirado na reinvenção das imagens vivas em suas memórias cabo-verdianas, e é pensado como lugar de diálogo entre tradição e vanguarda, onde continuidade e inovação se movem paralelamente.

A marca tem como interesse gerar novas percepções e possibilidades a partir de um relacionamento sustentável com as experiências e modos de vida daqueles que, com a marca, se identificam e desejam consumir um produto local feito a mão no atelier.

A marca cria peças minimalistas, mas fortes, para mulheres contemporâneas que querem se expressar através de um vestuário que conte uma história honesta e real.

Mantendo sempre as ligações às origens, ainda recentemente, Angela Brito esteve em Cabo Verde, numa série de contatos e actividades ligadas à cultura e não só. 

PUB