logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo
star Bookmark: Tag Tag Tag Tag Tag
Portugal

A China maoista

Se quiser encomendar este número pela internet e recebê-lo comodamente em casa, pelo correio, pode encomendá-lo aqui.

Caso queira assinar a VSÃO História, e receber as 6 edições anuais em casa, clique aqui.

Sumário

Imagens: cartazes maoistas

Cronologia 7000 a.C.-1949 Um país vindo do fundo dos tempos

Mapa da China

O império moribundo Para compreender o que passou na China no século XX é necessário recuar cem anos, até à época em que as potências do Ocidente, fascinadas pelas «chinesices» e pelo lucro fácil, humilharam o antigo «Império do Meio» e lhe impuseram os «Tratados Desiguais». Por Luís Almeida Martins

Construir a modernidade A era republicana foi um período de convulsões políticas e militares, mas também de novas ideias, vanguarda cultural e transformação económica, por Helena F. S. Lopes

Mao Tsé-Tung e a reinvenção do comunismo O líder da revolução chinesa criou uma nova via para a tomada do poder, fundou uma nova China, afrontou a URSS da coexistência pacífica com o Ocidente e inspirou por todo o mundo movimentos de regresso à «pureza» marxista-leninista. Por António Costa Pinto

Mao ‘dixit’ Excertos do volume Citações do Presidente Mao Tsé-Tung,que teve distribuição internacional a partir de 1964, chegando a alcançar uma tiragem de 900 mil exemplares em múltiplos idiomas

O formigueiro azul Do auxílio soviético à rotura frontal, não foram fáceis os primeiros anos do novo regime comunista instalado em 1949 no país mais populoso do mundo. Por Luís Almeida Martins

Taiwan, a disputada Para Pequim, a grande ilha é uma província a reintegrar, como sucedeu a Hong Kong e Macau. Para os governantes locais, o futuro deve ser decidido ali. Por Helena F. S. Lopes

Pequim e Moscovo em rota de colisão A animosidade entre Mao e Khrushchev e divergências geoestratégicas estão na origem do cisma sino-soviético, que culmina num confronto armado entre as duas principais referências do «mundo socialista». Por Pedro Caldeira Rodrigues

Revolução Cultural, a última batalha de Mao Desencadeada em 1966 por Mao com a ajuda das Forças Armadas, serviços secretos e os jovens da Guarda Vermelha, esta convulsão inseriu-se numa luta fratricida pelo poder em nome da pureza ideológica- Por Pedro Caldeira Rodrigues

Opinião : Quando o maoismo se fez português Miguel Cardina

À procura do Homem Novo Viveram anos na China revolucionária. Conheceram o país por dentro, voltaram com memórias gratas. E, no entanto, qualquer coisa dentro deles, a meio caminho, se quebrou. Por Emília Caetano

Entrevista Fernando Rosas: ‘O grande contributo do maoismo foi a luta contra a Guerra Colonial’O historiador e dirigente do Bloco de Esquerda foi um dos fundadores do MRPP

Uma demora de 25 anos Portugal e a Irlanda foram os últimos países europeus a reconhecer a ‘nova’ China. Por António Caeiro

O império renascido Foi a seguir às turbulências da Revolução Cultural que a China deu o seu verdadeiro «grande salto em frente»: o que a transformou na grande potência que hoje é. Por Luís Cunha

O preço de Tiananmen O sangrento esmagamento das manifestações pela liberdade, em 1989, teve como contrapartida o enriquecimento individual dos chineses e como corolário uma guerra surda com o Ocidente. Por Eric Meyer

A fábrica do mundo A China aliou uma imensa força de trabalho a uma enorme capacidade de investimento e a um espírito reformista, sem tirar o socialismo da agenda. Por Clara Teixeira

Xi Jinping, o novo 'timoneiro’ Teoricamente, pode ficar até 2035 «ao leme, conduzindo o país por entre ventos e ondas, rumo a um futuro mais brilhante». Por António Caeiro

Macau, um pé na China De pequeno território autogovernado por portugueses com o consentimento chinês, a Cidade do Nome de Deus na China evoluiu para o estatuto de colónia no período das Guerras do Ópio (sem que Lisboa alinhasse com os restantes europeus) e para o de território chinês sob administração lusa, até ao seu regresso à «mãe-pátria». Por António Vasconcelos de Saldanha

Ser macaense Macau tende hoje a perder as características de espaço de «origem», para assumir as de território de acolhimento onde a comunidade macaense passa a sentir-se emigrante na cidade onde nasceu. Por Alfredo Gomes Dias

A longa marcha das negociações De 25 de abril de 1974 a 19 de dezembro de 1999, «a pedra polida a boiar no rio das Pérolas» foi o ponto nevrálgico da busca de entendimento luso-chinês. Por Pedro Vieira

Opinião: Macau, da transição para o futuro General Rocha Vieira

Crónica: Amanhecer em Ou Mun Memórias de quando Macau voltou a ser oficialmente chinesa. Por Luís Almeida Martins

Themes
ICO