Portugal

Coronavírus deixa os pequenos príncipes George e Charlotte sem escola

O receio de um surto de coronavírus no Reino Unido está a levar dezenas de escolas a optarem por suspender as actividades, mandando os alunos para casa. Na quarta-feira, foi a vez de George e Charlotte, os filhos mais velhos do príncipe William e terceiro e quarto na linha de sucessão ao trono britânico, ficarem sem escola, depois de a instituição que ambos frequentam ter identificado quatro casos suspeitos: crianças que apresentam sintomas de mal-estar e que passaram as férias intercalares da semana passada no Norte de Itália.

Um porta-voz da St Thomas's Battersea, citado pelo jornal Daily Express, informou que há “um número muito pequeno de estudantes que foram avaliados” e que vão permanecer em casa, de quarentena, até que cheguem os resultados dos exames. No entanto, “como todas as escolas”, a instituição informa, em comunicado, estar a levar “muito a sério os riscos potenciais relacionados com a disseminação do Covid-19”.

Contudo, e apesar de pelo menos uma dúzia de estabelecimentos de ensino ter decidido o encerramento, a Direcção-Geral de Saúde inglesa esclareceu não ter dado indicações nesse sentido. O chefe clínico deste organismo, Paul Cosford, manifestou compreensão numa altura em que “as escolas precisam tomar decisões difíceis”, mas avançou que “o conselho é de não fechar escolas”.

“O que temos a certeza é que, se se esteve [recentemente] na região do Norte da Itália em causa e se apresenta sintomas — tosse, falta de ar ou febre —, será necessário isolar-se, ligar para a [linha de emergência] NHS 111 e aguardar conselhos para mais avaliações ou exames.”