Portugal

Covid-19: Artemrede diz que propostas do Governo tornam alguns espectáculos inviáveis

A Artemrede considera que as propostas do Governo para reabertura das salas de espectáculo “inviabilizarão” a programação cultural em várias localidades portuguesas e considera necessário que todos os agentes do sector se pronunciem sobre as medidas a adoptar.

Para a estrutura, que agrega 16 municípios, algumas das medidas propostas pelo Ministério da Cultura “inviabilizarão a programação cultural em vários pontos do país”, além de que são “omissas em questões relevantes para a segurança e confiança das equipas técnicas, artísticas e público”.

Os municípios sustentam que precisam “de tempo e espaço para avaliar, reflectir e propor”, além de que necessitam de conhecer o grau de obrigatoriedade, imposição e duração destas medidas.

Para os municípios, refere a Artemrede, a “fruição e participação culturais serão determinantes para um regresso gradual à normalidade e para promover a confiança e a coesão social”.

Os 16 associados da Artemrede defendem a necessidade de “aprofundar a reflexão e o diálogo sobre esta matéria, sob pena de se estarem a impor medidas desajustadas à maioria dos espaços e a tornar incomportável o funcionamento dos mesmos”, o que fará aumentar “as assimetrias já existentes na fruição e participação culturais no país”.

Por isso, a Artemrede enviou, esta segunda-feira, um documento para o ministério no qual aborda as medidas propostas e se disponibiliza para repensar algumas delas. No que toca à lotação das salas, o organismo considera que o “mais sensato seria definir uma percentagem de ocupação máxima, permitindo que cada espaço defina o seu modelo cumprindo sempre as regras de segurança impostas pela Direcção-Geral da Saúde (DGS).”

Nalguns casos, a Artemrede defende também a utilização obrigatória de máscaras por parte dos espectadores durante os espectáculos – e não apenas à entrada –, a manutenção mensal dos aparelhos de ar condicionado e que só sejam permitidos sistemas que garantam a insuflação a 100% de ar novo.

A Artemrede sustenta ainda que “deviam ser aprofundadas as questões relativas às equipas técnicas (som, luz, direcção de cena, entre outras) e que o documento do Ministério é omisso na gestão das entradas e saídas dos espectadores, nomeadamente a permanência destes em foyers, que, nalguns casos, são espaços exíguos e onde não será possível manter a distância de segurança”.

Sobre espectáculos ao ar livre, a estrutura afirma que as propostas da tutela não se adequam à realização de eventos de pequena e média dimensão, pondo mesmo em causa a sua realização.

A Artemrede é um projecto de cooperação cultural e territorial que actua, desde 2005, nas áreas da programação em rede, do apoio à criação, da formação e da mediação cultural. Actualmente agrega 16 municípios: Abrantes, Alcanena, Alcobaça, Almada, Barreiro, Lisboa, Moita, Montemor-o-Novo, Montijo, Oeiras, Palmela, Pombal, Santarém, Sesimbra, Sobral de Monte Agraço, e Tomar.

No fim-de-semana, também o Movimento Pelos Profissionais do Palco considerou “inviável” a proposta do Ministério da Cultura para a abertura dos teatros em 1 de Junho, lamentando que não tivesse sido dado conhecimento da proposta às companhias independentes e às produtoras.

Football news:

Kike Setien: Barcelona didn't play a great match. Espanyol played well in defense
Andujar Oliver on deletions: Fati went too far in the foot, and the foul on the Peak was even more dangerous, perhaps
Atalanta extended the winning streak to 11 matches, beating Sampdoria-2:0
Milner played his 536th game in the Premier League and was ranked in the top 5 of the League in games played
Barca midfielder Fati is removed in the Derby with Espanyol. He spent 5 minutes on the field
Suarez scored 195 goals for Barcelona and finished third in the club's top scorer list
Daniele de Rossi: People call Messi cowardly, but they are afraid to ask their wives for a remote control from the TV