Uma imagem tem estado a ser amplamente partilhada no Facebook, em páginas portuguesas, depois de já ter feito o seu caminho entre perfis norte-americanos. Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas (NIAID) e uma das principais caras da task force norte-americana de combate à Covid-19, atribuiu ao uso de máscaras as mortes da gripe espanhola. Verdade ou mentira? A afirmação é falsa, mas vamos analisá-la por partes.

Na imagem da publicação pode ler-se o seguinte: “Em 2008, Dr. Anthony Fauci foi co-autor de um estudo sobre a epidemia da gripe espanhola considerada a mais devastadora pandemia moderna.” Esta é a parte da alegação que é verdadeira. De facto, o imunologista participou num estudo sobre a gripe que assolou o mundo entre 1918 e 1919.

Fauci e os colegas do NIAID descobriram que “a maioria das vítimas da gripe espanhola não morreram de gripe espanhola”, lê-se no post de Facebook. “Morreram de pneumonia bacteriana. E a pneumonia bacteriana foi causada por… esperem… esperem… o uso de máscaras.” Esta segunda parte da afirmação é completamente falsa.

Em momento algum o estudo faz a associação entre o uso de máscara e as mortes por pneumonia bacteriana. A conclusão a que chega a equipa de investigadores, onde Fauci se inclui, é a de que a pneumonia bacteriana causou a maioria das mortes na pandemia de gripe de 1918, como se pode ler no comunicado de imprensa, divulgado na altura, a 19 de agosto de 2008.

“A maioria das mortes durante a pandemia de influenza de 1918-1919 não foi causada pelo vírus influenza agindo sozinho, relatam pesquisadores do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas (NIAID), parte do National Institutes of Health. Em vez disso, a maioria das vítimas sucumbiu à pneumonia bacteriana após a infeção pelo vírus da gripe. A pneumonia foi causada quando bactérias, que normalmente habitam o nariz e a garganta, invadiram os pulmões ao longo de uma via criada quando o vírus destruiu as células que revestem os brônquios e os pulmões”, pode ler-se na nota de imprensa.

E continua, citando Anthony S. Fauci: “O peso das evidências que examinamos nas análises históricas e modernas da pandemia de influenza de 1918 favorece um cenário em que o dano viral seguido de pneumonia bacteriana levou à grande maioria das mortes […] Em essência, o vírus deu o primeiro golpe, enquanto a bactéria deu o golpe final.”

Falso. O estudo do imunologista norte-americano Anthony Fauci diz ser muito provável que a maioria das mortes da gripe espanhola tenham acontecido devido a uma pneumonia bacteriana secundária e o documento é, de facto, de 2008. No entanto, em nenhuma parte da investigação se associa o surgimento daquela infeção ao uso de máscara.

Segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

Errado

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: As principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge