Portugal

Groundforce diz que resposta do Governo é "ultimato inaceitável"

"A resposta que recebi do Senhor Ministro das Infraestruturas e da Habituação, Pedro Nuno Santos, à proposta que fiz para viabilizar a Groundforce é insultuosa, uma chantagem e um ultimato inaceitável", defendeu, em comunicado, o presidente do Conselho de Administração da empresa, Alfredo Casimiro.

O administrador diz que ofereceu a sua posição acionista como garantia de que a empresa vai pagar à TAP os adiantamentos necessários para pagar os salários em falta, e que Pedro Nuno Santos "propõe" a perda das ações - relativas a 50,1% do capital - na Groundforce "se o Estado se atrasar na concessão do aval", para um financiamento bancário.

Alfredo Casimiro disse que ministro das Infraestruturas "ignorou" esta proposta, responsabilizando-o por não conseguir pagar os salários aos 2.400 trabalhadores da Groundforce.

"O senhor Ministro sabe que a proposta que fez não pode ser aceite numa negociação de boa-fé. Ao contrário do que nos prometeu em julho, o Senhor Ministro não nos apoiou e é agora o único responsável pela falta de pagamento dos salários dos trabalhadores", afirmou.

O empresário lembrou ainda que os adiantamentos que a Groundforce necessita são "uma gota de água quando comparados com as centenas de milhões de euros que o Estado injetou e injetará" na TAP ou com os mais de 50 milhões de euros que pagou a David Neeleman para sair da transportadora.

No comunicado, o presidente do Conselho de Administração da empresa de 'handling' (assistência nos aeroportos) diz que a proposta do Governo responsabiliza-o pela concessão do empréstimo, valor e pelas datas de decisão do executivo.

"Não sou eu quem decide quando sairá o empréstimo, porque não sou eu quem decide quando será dado o aval do Estado. Portanto, não posso ser eu sozinho a correr o risco de perder a participação na Groundforce pela incapacidade e pelos sucessivos atrasos do Estado", notou.

Para Alfredo Casimiro, a proposta do Governo não pode ser aceite numa "negociação de boa-fé", sublinhando que a que apresentou ao ministro das Infraestruturas "é a única que protege os dinheiros dos contribuintes" e da transportadora.

"Colocando-me sob chantagem, o senhor ministro sabe que não será a Groundforce a pagar o salário dos trabalhadores da empresa, e que terá de ser o Estado, eventualmente através de uma nacionalização, a pagar esta conta e todas as outras que certamente virão. É o que quer o senhor ministro Pedro Nuno Santos: nacionalizar a Groundforce e entregá-la daqui a uns tempos a outro privado. Estão a aproveitar-se da pandemia para fazer um roubo, tal como os que ocorreram a 11 de março de 1975", alertou.

Neste sentido, Alfredo Casimiro apelou ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e ao primeiro-ministro, António Costa, que impeçam este "ataque à dignidade dos trabalhadores".

Na terça-feira, o presidente do Conselho de Administração da Groundforce e dono da Pasogal, acionista maioritária da empresa de 'handling', já tinha apelado ao "diálogo" de forma a "encontrar uma solução" para ultrapassar a difícil situação financeira em que esta se encontra.

"Faço um apelo de diálogo a todos os envolvidos para que possamos rapidamente pôr termo a este clima de incerteza e, nesse sentido, acabo de pedir uma audiência com caráter de urgência ao senhor ministro das Infraestruturas e Habitação, bem como aos grupos parlamentares na Assembleia da República", referiu, na altura, em comunicado, Alfredo Casimiro.

No mesmo dia, vários sindicatos representativos dos trabalhadores da SPdH/ Groundforce, pediram à tutela uma solução "de curto prazo" para o pagamento dos salários em atraso mas também para os próximos meses.

A Pasogal, de Alfredo Casimiro, detém 50,1% da Groundforce e a TAP 49,9%.

[Notícia atualizada às 20h27]

Leia Também: Solução à vista. TAP vai emprestar quase três milhões à Groundforce

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Football news:

Ronaldo is considering a return to Manchester United. Cristiano is ready to take a pay cut (GdS)
Arteta that Arsenal should not have been called to the Super League: We are one of the best clubs in the world. There is no denying the story
Man City have agreed to transfer 17-year-old winger Fluminense Kaiki for 12 million euros
Fonseca on 1:1 with Atalanta: Roma was better in the second half and showed character
Five years ago, esports was building its own Super League. The project failed due to the dissatisfaction of the players
Keylor Navas is the best Ligue 1 player in March
Rodgers on 3-0 with West Brom: Leicester can play much better