Portugal

Pandemia. Ethiopian Airlines já perdeu 500 milhões de dólares

"Até agora, a Ethiopian Airlines perdeu receitas de 550 milhões de dólares [504 milhões de euros], incluindo o mês de abril", afirmou Tewolde Gebremariam, durante ma conferência de imprensa, na capital etíope, em Adis Abeba.

Salientou que a empresa enfrente "uma grave crise financeira, operacional e comercial".

Nas últimas semanas, a Ethiopian Airlines distribuiu equipamento médico no continente africano e repatriou voluntários norte-americanos e cidadãos asiáticos trabalhadores em navios de cruzeiro acostados nos EUA, segundo Tewolde.

Para enfrentar esta crise, adiantou o dirigente da empresa, a transportadora aérea vai concentrar os seus esforços no frete, designadamente no fornecimento de material médico, o que pode implicar a retirada de lugares de passageiros em alguns dos seus aviões.

Mas esta atividade apenas representa por enquanto 15% das receitas da transportadora, reconheceu.

A Ethiopian Airlines só mantém voos para 19 dos 110 destinos para onde operava antes da crise.

Tewolde declarou-se confiante na capacidade da empresa, que é propriedade do Estado etíope, de resistir à conjuntura sem ter de despedir qualquer dos seus 13 mil trabalhadores regulares.

Mas não excluiu a necessidade de uma ajuda financeira externa para se manter a funcionar. "O nosso plano é resistir e superar esta crise sozinhos, mas se infelizmente esta se prolongar além do que se pensa, então termos de a solicitar", comentou.

Desde o início da pandemia que a Ethiopian Airlines manteve os seus voos para a China e continua a voar para EUA, Europa e Ásia.

Tewolde disse ainda que três dos empregados da companhia testaram positivos à covid-19, apesar das medidas de proteção tomadas.

A Etiópia, segundo país mais povoado do continente africano, com cerca de 100 milhões de habitantes, conta oficialmente 52 casos de coronavirus, mas fez um número muito restrito de testes.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou cerca de 1,4 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 80 mil.

Dos casos de infeção, cerca de 260 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O número de mortes devido à covid-19 em África subiu para 487, num universo 10.075 casos registados em 52 países, de acordo com a mais recente atualização dos dados da pandemia no continente.

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Football news:

Bale's agent: Gareth is happy at Real Madrid. He wants to provide for himself for life
The salary cap is a post-virus goal of UEFA and the Bundesliga boss. Here's how the limit works in MLS, Rugby and China
Kevin-Prince Boateng on playing in MLS: I will be Mohammad Ali, leading the people
Messi may not play with Mallorca due to adductor muscle discomfort
Alexey Miranchuk can move to Fiorentina (Betting Insider)
Henri on racism: Why is this still happening in 2020? We demand changes
The defender from Burkina Faso is the new star of the Bundesliga. With him, Bayer won 11 matches out of 13