logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo
star Bookmark: Tag Tag Tag Tag Tag
Portugal

Processo de corrupção de ex-dirigentes políticos inicia-se na Argélia

O processo, muito aguardado, que decorre no tribunal de Sidi M'hamed, no centro de Argel, tinha sido adiado na segunda-feira, a data prevista para o seu início. A defesa referiu que boicotaria o recomeço dos trabalhos ao denunciar uma justiça "politizada" e um clima de "ajuste de contas".

"As condições neste local não permitem aos advogados cumprirem as suas missões e informo que a defesa decidiu boicotar o processo", explicou hoje a causídica Mohamed Madjdoub ao juiz, em nome dos advogados de defesa.

O juiz pediu-lhes para se retirarem do local e decidiu prosseguir o julgamento.

Este processo é o primeiro na sequência dos vastos inquéritos sobre presumíveis casos de corrupção, desencadeados após a demissão em abril do Presidente Abdelaziz Bouteflika, após a pressão do inédito movimento 'Hirak' de contestação do regime, e após 20 anos na chefia do Estado.

Os indiciados são perseguidos por atos de corrupção e favoritismo na indústria de montagem de veículos.

No banco dos réus estão dois antigos primeiros-ministros de Bouteflika, detidos desde junho: Ahmed Ouyahia, quatro vezes chefe de governo entre 1995 e 2019, incluindo três vezes sob a Presidência de Abdelaziz Bouteflika, e Abdelmalek Sellal, que dirigiu o governo de 2014 a 2017.

Desde a sua independência em 1962, é a primeira vez que estão a ser julgados na Argélia antigos chefes de governo.

Themes
ICO