Portugal

Terceiro partido moçambicano diz que saúde entrou em "descalabro"

"No nosso país, cada um é testemunha do descalabro que se vive no setor da saúde, sobretudo, no setor público", afirmou o deputado e porta-voz do MDM, Fernando Bismarque.

Bismarque falava em nome do chefe da bancada do MDM, Lutero Simango, na Assembleia da República, durante o discurso de abertura da terceira sessão da IX Legislatura do parlamento.

Ao longo dos 45 anos de independência de Moçambique, não houve investimentos sérios para promover a qualidade e aquisição de equipamentos hospitalares, acrescentou.

Por outro lado, prosseguiu, não há promoção de uma política de recrutamento de jovens que terminam cursos de medicina para o exercício da profissão, apesar da falta destes profissionais em todo o território nacional.

"Por isso, assistimos todos os dias a técnicos de laboratórios hospitalares, enfermeiros e médicos formados a abraçarem outras atividades diferentes das suas áreas de formação", frisou.

O MDM defendeu ser urgente uma reorganização do SNS, através de uma reflexão profunda sobre a situação no setor.

"Não faz sentido que volvidos 45 anos da nossa independência continuemos a ser uma colónia no setor da saúde. Somos dependentes de ajudas externas, porque, a nível interno, temos tido a tentação de negligenciar este setor tão importante para a nossa sobrevivência", destacou.

Para sair do "descalabro", continuou, Moçambique deve investir recursos suficientes em infraestruturas de saúde, formação e equipamento e melhorar os incentivos aos profissionais da saúde.

Fernando Bismarque condenou a primazia do lucro no setor privado da saúde, criticando a falta de ética e deontologia e o aproveitamento da situação provocada pela pandemia de covid-19 para o enriquecimento.

"Chegam relatos de famílias de que tem havido muito oportunismo e falta de ética e deontologia profissional em alguns hospitais privados, onde no lugar da vida, o lucro passou a ser o maior valor", referiu.

Moçambique conheceu uma subida exponencial de mortes, infeções e internamentos, devido à covid-19 desde o início deste ano, ultrapassando o total registado em todo o ano passado.

O país conta com um cumulativo de 608 mortes por covid-19 e 56.920 casos de infeção, desde a eclosão da pandemia no país em março de 2020.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.498.003 mortos no mundo, resultantes de mais de 112 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Leia Também: Centro de tratamento em Moçambique interrompeu atividades após 'Eloise'

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Football news:

Benzema and Real Madrid are close to extending their contract until 2023
In 1936, the City was supposed to come to the USSR. The tour was approved by Stalin, but the organizer was shot
Petrzhela on Kudela's disqualification: A disaster! Black is black, and white is white. How else to say it?
Neymar was named the best player of the week in the Champions League
Fans turned to Agnelli with criticism of the reform of the Champions League: You will only increase the gap between the rich and the rest in the expectation that fans will sacrifice time and money
If you put a judge, Hitler and Napoleon, and give me two bullets, I would put both of them in the judge. The coach of the student league conquered the English-language Internet
Real Madrid expects Ramos to leave. The club thinks it has a better offer (Cadena SER)