Brazil

Cidades italianas fazem novos protestos contra regras anti-Covid

Manifestações e passeatas para contestar o novo decreto anti-Covid e as autoridades municipais e regionais tomaram às ruas de Cremona, Catânia, Milão, Nápoles, Parma, Treviso, Trieste, Turim, Viareggio, entre outras

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

(ANSA) - Diversas cidades da Itália registram nesta segunda-feira (26) uma série de protestos contra as novas medidas contra o coronavírus Sars-CoV-2 anunciadas pelo governo do primeiro-ministro Giuseppe Conte.

Manifestações e passeatas para contestar o novo decreto anti-Covid e as autoridades municipais e regionais tomaram às ruas de Cremona, Catânia, Milão, Nápoles, Parma, Treviso, Trieste, Turim, Viareggio, entre outras.

Em algumas cidades do país, inclusive, os atos são marcados por tumultos e confrontos entre os militantes e a polícia italiana.

Em Turim, a manifestação reuniu centenas de taxistas na Piazza Castello contra "a falta de apoio econômico" resultante da pandemia de Covid-19. Lá, outro ato contra "ditadura, toque de recolher e lockdown" foi convocado na praça Vittorio Veneto. A polícia italiana prendeu pelo menos 10 pessoas 

Segundo as autoridades, duas lojas na via Roma central foram devastadas por manifestantes em meio à uma confusão contra a polícia. Um dos grupos quebrou a janela do estabelecimento e começou a saquear os produtos.

Já em Cremona, os donos de restaurantes bateram panelas na frente da prefeitura e depois as deixaram no chão como se fosse um cemitério de louças.

Na Catânia, por sua vez, algumas pessoas jogaram bombas de papel na frente da sede da prefeitura. A iniciativa havia sido anunciada por meio de campanha promovida durante dias nas redes sociais por um anônimo.

Em Treviso, cerca de mil manifestantes marcham pelas ruas da cidades, enquanto que, em Viareggio, diversos jovens bloquearam o trânsito e lançaram bombas de fumaça e fogos de artifícios.

Na praça de Cosenza, a maioria dos proprietários de ginásios, academias e piscinas, "pesadamente penalizados por fechamentos que não fazem sentido" se reuniu.

Enquanto isso, na cidade de Nápoles, o ato contra as medidas do governo terminou e a multidão se dispersou, mas um grupo de cerca de 100 manifestantes se desviou, provocando uma tensão com a polícia.

Já em Milão, centenas de pessoas se manifestam ao longo da rua comercial mais importante da cidade, Corso Buenos Aires, provocando a explosão de fogos de artifício e coquetéis molotov. Além disso, duas garrafas incendiárias foram lançadas durante o percurso, enquanto palavras de ordem e vários insultos contra Conte foram entoados.

A polícia lançou gás lacrimogêneo contra os manifestantes para tentar dispersar os participantes do ato violento em Milão.

Outros protestos também estão sendo registrados em Milão, Pescara , Vicenza, Perugia , Gênova, Foggia, Pesaro, Bolonha, Florença, Lecce, Campobasso e até Sanremo .

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Football news:

Maradona's son said goodbye to his father: You will never die, because I will love you until my last breath
Jose Mourinho: Chelsea have an amazing squad. Can play Mendy or the most expensive goalkeeper in the history of the Premier League
Andrea Pirlo: Ronaldo is a bit tired after so many games. We agreed that he will rest
Maradona's manager: Diego didn't want to live anymore. He allowed himself to die
Eder Sarabia: I hope Barcelona will once again be the team that made us enjoy football like no other
Maradona is a major figure in the life of Director Paolo Sorrentino. He believes that Diego saved his life, and calls the Argentine his guide to the world of art
Barca presidential candidate farre: I want Messi to become the honorary President of the club. He will stay