Brazil

Gestores de escolas particulares discutem soluções para volta às aulas presenciais

O Grupo de Valorização da Educação (GVE), entidade que reúne cerca de 60 escolas particulares em Salvador e Lauro de Freitas, discutiu soluções para a volta do ensino presencial nas escolas baianas, que estão há mais de 10 meses fechadas, por decreto municipal e estadual, devido à pandemia do novo coronavírus. Uma das principais justificativas para o retorno, defendido pelo grupo, é que a falta de aulas nos espaços das instituições afeta, sobretudo, a saúde mental das crianças e adolescentes. O tema foi discutido durante uma live do GVE, realizada, nesta quinta-feira (21), pelo canal do Youtube do Grupo. O debate (reveja aqui) teve participação da pediatra Rita Mira, chefe do serviço de pediatria do Hospital Santa Izabel, e do psicólogo doutor em ciência da educação, Alessandro Marimpietri.  

A diretora do colégio Módulo Criarte, Teresa Brasileiro, que também esteve presente, ressaltou que discutir soluções para o retorno das aulas presenciais é urgente. “É preciso colocar a educação na centralidade. É preciso entender que é na escola que as crianças, através de seu brincar, de suas atividades, do exercício de se relacionar com o outro, de viver conflitos e saber negociar, que ela cresce e se constrói como sujeito, que ela constrói sua singularidade”, defende Brasileiro. Além disso, ela ressalta que é necessário se colocar no lugar desses jovens e entender as mudanças que a pandemia trouxe a eles. “A gente precisa considerar o sofrimento das nossas crianças e a privação que elas estão tendo”, disse.  

Para o psicólogo Alessandro Marimpietri, não é ideal que o ensino remoto se perpetue por muito mais tempo, porque o espaço escolar é essencial para a construção do ser humano. “Ouvimos um discurso de que a escola vai agora pra dentro de casa e isso é impossível. O que se pode fazer é dar uma chance de uma sobrevida socioeducativa, mas a escola não se pode fazer em casa, não por conta do edifício escola, dos muros e paredes, mas, fundamentalmente porque a escola é um organismo vivo. É um lugar de relações, de troca afetiva, de experimentação com o corpo, de encontro com pares, de ampliar relações que se constrói nas vivencias familiares, de valorização do projeto social de civilização, onde a gente coloca pessoas de credos, raças, pensamentos, realidades para coexistir e sem se destruir”, defende.  

Por isso, Marimpietri sugeriu três medidas para que o retorno das aulas presenciais seja feito da melhor maneira possível. Para ele, o caminho deve ser o de constante diálogo entre os agentes de educação, funcionários da escola, pais e alunos. “É preciso que as escolas abram espaços para escutar os professores, auxiliares, agentes socioeducativos, as famílias, para que falem de suas angústias e medos”, orientou o especialista em Ciência da Educação. As três ideias sugeridas por ele durante a live são a criação de fóruns de discussão ou escuta individual dessas pessoas que integram o corpo escolar, antes e durante a abertura. O terceiro ponto é adaptar os protocolos às necessidades dos alunos e professores.  

A pediatra Rita Mira complementou as possíveis soluções para à volta das aulas presenciais também com três sugestões: a testagem regular para covid-19, rastreamento de casos novos e monitoramento dos infectados pelo vírus. “É preciso de testes de covid com uma assertividade boa para passar confiança aos pais e aos professores. Só aí dá a segurança de que não estou com o vírus e posso ficar mais tranquila de transitar melhor”, explicou a médica. Em relação ao rastreamento de casos, Rita diz que é para não haver a falsa associação de que foi a reabertura dos colégios que causou um possível aumento do número de infectados pelo novo coronavírus. Em terceiro lugar, ela afirma que é recomendado que as escolas tenham médicos a disposição da instituição para acompanhar a evolução dos que foram contagiados.  

Pensar e planejar o retorno, segundo a pediatra, é garantir um cuidado com a saúde desses jovens. “É muito presente esse desgaste que estamos tendo da saúde infantil. As crianças estão sendo jogadas e a sociedade não tem dado a importância devida. E a escola faz parte de sua saúde, de seu desenvolvimento. Elas precisam de estimulo social, precisam estar em ambiente escolar, de conhecimento, de aprendizado, que não são só conhecimento didático, é um desenvolvimento cognitivo, psicológico e emocional”, afirma. 

A pediatra diz ainda que valorizar o sentimento da criança, que, em maioria, quer voltar à escola, é valorizar o futuro.” É preciso dar importância ao sentimento da criança, valorizar, porque vai ser nosso futuro depois. Me preocupo com isso. Estou vendo crianças depressivas e o número de acidentes em casa aumentou, estou tendo mais suturas, mais traumatismo craniano.  

O presidente do GVE, Wilson Abdon, apontou que, mesmo com as escolas fechadas, as crianças estão frequentando outros espaços, onde podem, do mesmo jeito, se contaminar pela covid-19. “As crianças estão frequentando e buscando essa interação social em outros espaços, espaços esses sem o menor nível de segurança. E a gente acredita que as escolas, não só do GVE, têm todo o protocolo criado, aplicado, contratado, através de epidemiologistas, infectologistas e pediatras, com toda a responsabilidade”, argumenta.  

Abdon diz ainda que o protocolo foi pensado não só para os alunos, mas para toda a comunidade escolar. O presidente do GVE também disse que disponibilizou o protocolo sanitário para a prefeitura de Salvador, Lauro de Freitas e para o Governo do Estado, a fim de ajudar os órgãos públicos a construírem as medidas de segurança nas escolas públicas.   

*Sob orientação da subeditora Fernanda Varela 
 

Football news:

Carlos Bianchi: Messi is still able to dribble the whole team in some games. He is unique, like Ronaldo and Zlatan
The real world is waiting for the Youngster's progress in the Arsenal. In Madrid, they are counting on him
Pep about the calendar: This is not an excuse, but a privilege. The Premier League is challenging us and we must accept it
Messi is more open to getting to stay in the bars than ever before. He does not like the rumors about PSG
Goal Mbappe bars named best in the first match 1/8 finals of the Champions League, ball Fat - 3rd
Tuchel pro 1:3 with PSG from Manchester United in the Champions League: The worst defeat in my career. I felt like I was in the dark two days after the game
Jurgen Klopp: There will be no major realignment at Liverpool. This squad has never played together this season