logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo
star Bookmark: Tag Tag Tag Tag Tag
Brazil

‘Não tenho resposta’, diz Huck sobre 2022

O apresentador Luciano Huck foi questionado nesta quinta-feira, 23, em um almoço-painel no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, a respeito de uma futura candidatura à Presidência da República e não refutou a possibilidade. Enrolou, falou de Amazônia, que não tinha nada a ver com a pergunta, mas acabou concluindo, para risos da plateia que acompanhava a palestra: “Sua pergunta é muito difícil. Não tenho a resposta nem para mim mesmo”, afirmou.

Mais do que não negar a possibilidade, Huck deu justificativas de por que pode acabar trilhando este caminho.

Para o apresentador, há “muitas maneiras” de se engajar nas mudanças que o País precisa e “entrar para a política é uma delas”, afirmou. Mas também listou outras iniciativas que poderiam ser tomadas, como fomentar, inclusive por meio de financiamento, a qualificação de novos talentos da política – algo que já faz, por meio da parceria com os movimentos de renovação, que, por sua vez, são vistos como a plataforma inicial, anterior inclusive aos partidos, para seu lançamento na política.

“Todas as decisões que tomamos na vida são políticas”, afirmou o apresentador, que está circulando em Davos com a barba, branca, crescida.

O “lançamento” da candidatura foi feito por Raiam Pinto dos Santos, que estava na audiência do almoço-painel, se apresentou como empreendedor e quis saber que garantias Huck daria de que seu projeto é para valer.

Aceitação

Para o presidente do Cidadania, Roberto Freire, uma das figuras do meio político com quem Huck tem conversado – e que estimula que a possibilidade de o nome do apresentador estar nas urnas se concretize -, a participação em Davos teve dois propósitos: primeiro, ajudar a tirar algum preconceito que possa existir com o fato de Huck ser um apresentador de TV. “Ele vem mostrar capacidade” e conhecimento das questões do País. Em segundo lugar, segundo Freire, as falas de Huck demonstram que ele “está admitido a possibilidade” de efetivamente entrar na disputa de 2022.

Huck, que é ligado aos movimentos de renovação política RenovaBR e Agora!, já vinha declarando que é preciso “restaurar” as lideranças políticas nacionais. Em janeiro, ele havia publicado um artigo com a defesa dessa ideia no site do próprio Fórum Econômico Mundial. Ele também já fez críticas à condução das políticas ambientais no País sob o governo Jair Bolsonaro e, na semana passada, foi um dos que criticaram o vídeo com citações nazistas do então secretário especial da Cultura, Roberto Alvim, antes de o presidente decidir demiti-lo.

O apresentador tem se aproximado de políticos como Freire, o ex-governador do Espírito Santo Paulo Hartung e mantido diálogos com o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). A movimentação já fez ele ser alvo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que disse que Huck “não representa a centro-esquerda”, mas sim “a TV Globo”. Já o deputado Marco Feliciano (sem partido-SP), aliado da família Bolsonaro, o chamou de “comunista” na semana passada.

Na quarta-feira, 22, Huck já havia gravado um vídeo e publicado em suas redes sociais, em que apresentou o Fórum Econômico Mundial. “É um daqueles eventos para tentar fazer o mundo um lugar mais igualitário, mais justo, e para repensar um pouco os fundamentos do capitalismo”, disse o apresentador. “Como estou numa fase da vida que quero aprender, onde fazer pergunta é mais legal do que saber resposta, eu estou aqui”, completou. Ao explicar o evento, ele disse que o encontro não era “uma seita secreta para definir os rumos do mundo.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Themes
ICO