logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo
star Bookmark: Tag Tag Tag Tag Tag
Brazil

Tricampeão olímpico do snowboard disputa Mundial de Skate de olho em Tóquio-2020

Shaun White é uma lenda do snowboard. É tricampeão dos Jogos Olímpicos de Inverno no halfpipe, mas agora sonha representar os Estados Unidos na estreia do skate em Tóquio-2020. A tarefa é complicada, mas nesta sexta-feira ele deu um passo importante ao se classificar para a semifinal do Mundial de Park, que está sendo disputado em São Paulo.

O atleta ficou com a penúltima vaga, mas agora a pontuação será zerada e ele poderá tentar avançar até a final. “É um pouco diferente. No skate a volta dura mais tempo, é mais técnico e as coisas podem dar errado com mais frequência, enquanto no snowboard você vai mais rápido, mais alto, é algo maior. São diferenças enormes e estou aprendendo e melhorando”, diz.

Quando era jovem, ele chegou a ter bons resultados no skate, mas depois optou pelo outro esporte de prancha. “Eu era profissional do skate quando tinha 16 anos. Eu atingi meus objetivos, fui campeão dos X-Games, mas aí ficou muito desgastante fisicamente competir em modalidades de verão e inverno a cada temporada. Resolvi dar um descanso, cheguei a tocar guitarra em uma banda, então fazia snowboard no inverno e música no verão”, conta, rindo.

Aos 33 anos, White lembra que, quando era um garoto e praticava snowboard, na escola diziam que ele deveria escolher outro esporte porque aquele não era olímpico. Ele sabia que a modalidade precisava de um “carimbo” olímpico, o que aconteceu depois, e que agora isso vai se realizar no skate também.

“Estou muito empolgado com o skate na Olimpíada. Eu sei o que ocorreu com o snowboard quando isso aconteceu. Houve mais atenção para esse esporte, mais dinheiro para a indústria do snowboard e construiu todos os atletas como eu. Nós temos a possibilidade de atuar nesse palco mundial. Isso significa muito”, afirma.

Para se preparar para o Mundial, White chegou ao Brasil com bastante antecedência. Murilo Peres, brasileiro mais bem classificado para a semifinal (3º), chegou a andar com o norte-americano em uns treinos. “Ele está aqui há um mês e andamos juntos na pista. É um cara legal, está mais descontraído e correndo atrás da vaga olímpica”, revelou o brasileiro.

Shaun White sabe que precisa melhorar, mas está disposto a fazer um sacrifício para participar de mais uma edição da Olimpíada. Para ele, o Mundial no Brasil será um termômetro. “Quando o skate entrou no programa olímpico, isso me deu uma motivação incrível para meu retorno à modalidade de maneira profissional. Eu tive meus momentos no skate e agora vou um passo de cada vez. Ainda não estou totalmente comprometido a ir para a Olimpíada no skate. Então vou analisar como me saí nessa competição e só então tomar uma decisão”, avisa.

No feminino, quem se classificou com a melhor pontuação para as semifinais foi a britânica Sky Brown, de apenas 11 anos. Ela marcou 59,00 pontos, enquanto a segunda colocada foi a japonesa Mami Tezuka, que fez 48. Neste sábado, as semifinais das mulheres serão realizadas a partir das 9h50 e as oito mais bem colocadas avançam para a final, às 15h35. No masculino, as semifinais serão às 13h15, enquanto a final começará às 10h15 de domingo. O evento está sendo realizado no Parque Cândido Portinari, em São Paulo, com entrada franca.

All rights and copyright belongs to author:
Themes
ICO