O ministro da Economia francês, Bruno Le Maire, afirmou esta quinta-feira que a Huawei não será excluída do mercado 5G em França, avisando que haverá “restrições” para proteger os “interesses de soberania” do país.

“A Huawei não será descartada do 5G (quinta geração móvel) em França”, disse Le Maire, que falava à rádio Monte Carlo (RMC/BFMTV, quatro dias após um aviso de Pequim contra possíveis medidas discriminatórias contra o país.

“É perfeitamente compreensível que possa num momento ou noutro privilegiar um operador europeu“, mas “se a Huawei tiver uma melhor oferta a apresentar num momento ou noutro do ponto de vista técnico, do ponto de vista do preço, poderá ter acesso ao 5G em França”, disse o governante.

“Se houver instalações críticas, instalações militares, zonas nucleares próximas, colocaremos um certo número de restrições para proteger os nossos interesses ao nível da soberania”, prosseguiu o ministro.

Na quarta-feira, as autoridades norte-americanas citadas pelo Wall Street Journal disseram que a Huawei está a ser forçada pelo governo chinês a instalar vias de acesso secretas (‘black doors’) nas redes móveis com o objetivo de espiarem.

A Huawei, por sua vez, rejeitou as acusações, dizendo que se trata de uma “cortina de fumaça” que “ignora qualquer lógica comummente aceite na área de segurança cibernética”.