Portugal

Bielorrússia: EUA anunciam sanções financeiras e restrições de vistos

As medidas retaliatórias - que visam em particular conselheiros próximos do Presidente Alexander Lukashenko e funcionários importantes dos ministérios do Interior e da Informação, bem como dos serviços judiciários e de informações - são uma resposta ao sequestro de um avião no final de maio para deter um oponente do regime.

Num comunicado, o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, disse ainda que estas medidas visam punir "a repressão persistente na Bielorrússia", bem como as violações dos direitos humanos.

"Estas sanções coordenadas demonstram a firme determinação transatlântica em apoiar as aspirações democráticas do povo da Bielorrússia", explicou o chefe da diplomacia norte-americana.

Também o Reino Unido anunciou hoje novas sanções contra funcionários do regime de Alexander Lukashenko, assim como contra uma empresa exportadora de petróleo na Bielorrússia.

As sanções - anunciadas em coordenação com a União Europeia, EUA e Canadá -- poderão vir a ser complementadas com novas medidas sancionatórias, num futuro breve.

O Departamento de Tesouro dos EUA congelou ainda qualquer participação nos EUA de 16 pessoas e cinco entidades, que também serão impedidas de usar o sistema financeiro dos EUA.

Entre eles estão a porta-voz do Presidente Lukashenko, Natalia Mikalaeuna Eismant, a presidente da Câmara Alta do Parlamento bielorrusso, Natalia Ivanauna Kachanava, e o chefe dos serviços de informações, Ivan Tsertsel.

Por sua vez, o Departamento de Estado dos EUA proibiu 46 funcionários da Bielorrússia de entrar nos Estados Unidos - elevando para 155 o número de pessoas visadas pelas restrições de visto dos EUA.

O sequestro de um voo comercial da Ryanair, em 23 de maio, para o aeroporto de Minsk, para deter dois passageiros (o jornalista dissidente bielorrusso Roman Protasevich e a namorada Sofia Sapega) reacendeu as represálias ocidentais já em andamento desde a disputada reeleição do Presidente Lukashenko, seguidas de ações de repressão sobre manifestantes pró-democracia.

Leia Também: Bielorrussia: Comissão Europeia critica regime e anuncia mais sanções

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Football news:

Man City will buy Grealish for 100 million pounds, the contract is until 2026. The documents are signed
Tuchel on Lukaku at Chelsea: Many players want to join us. I will not discuss other people's players
Juve will give Demiral Atalanta on loan for 3 million euros with the right to buy for 25 million. Medical examination - On the 5th
Koeman pro 1:2 with Salzburg: Perfect, although I don't like to lose. We had to run a lot
Inter, in the event of Lukaku's departure, will try to buy Zapata from Atalanta, Bergamasca-Abraham from Chelsea
Aston Villa bought Southampton's top scorer Ings for 30 million pounds
Aurelien Tchuameni: Why is it possible to stop the match for 5 minutes because of a millimeter offside, but not because of racist shouts at the stadium?