Portugal

Covid-19. África do Sul suspende utilização da vacina Johnson & Johnson por precaução

A África do Sul suspendeu esta terça-feira a administração da vacina Johnson & Johnson como "medida de precaução", no seguimento da decisão da agência norte-americana do medicamento de interromper o seu uso enquanto se investigam casos de coágulos sanguíneos.

O país sul-africano já administrou mais de 289 mil doses da vacina da farmacêutica Janssen a profissionais de saúde daquele país sem qualquer relatos de coágulos sanguíneos, realçou o ministro da Saúde, Zweli Mkhize.

O responsável pela pasta da saúde na África do Sul destacou, citado pela agência AP, que o país suspendeu a vacinação da Johnson & Johnson (J&J) "por precaução" e espera que as dúvidas relativas à sua utilização sejam "esclarecidas em questão de dias".

No mês passado, a União Africana anunciou a assinatura de um acordo para comprar até 400 milhões de doses da vacina J&J.

As autoridades de saúde dos Estados Unidos recomendaram hoje "uma pausa" na administração da vacina anti-covid-19 de dose única Johnson & Johnson, para permitir investigar relatos de coágulos sanguíneos potencialmente associados à toma do fármaco.

O Centro para Controlo e Prevenção de Doenças e a Food and Drug Administration (entidade reguladora de alimentos e medicamentos dos Estados Unidos) avançaram, numa declaração conjunta, estar a investigar coágulos sanguíneos detetados em seis mulheres nos dias a seguir a terem tomado a vacina desta farmacêutica, em combinação com contagens de plaquetas reduzidas.

Mais de 6,8 milhões de doses da vacina Johnson & Johnson (J&J) foram já administradas nos Estados Unidos.

A Agência Europeia do Medicamento está a "acompanhar de perto" os desenvolvimentos relacionados com a vacina contra covid-19 de dose única da Johnson & Johnson, informou hoje a Comissão Europeia, confirmando o impacto na vacinação na União Europeia (UE).

"Os desenvolvimentos de hoje com a vacina J&J nos EUA estão a ser acompanhados de perto pela EMA e pelos seus organismos de farmacovigilância, em cooperação com a FDA [agência federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos] e outros reguladores internacionais", disse a comissária europeia da Saúde, Stella Kyriakides.

Através de uma publicação na rede social Twitter, a responsável confirmou que a administração na UE "foi colocada em pausa pela empresa", após a própria farmacêutica Johnson & Johnson ter informado que tomou a decisão de atrasar a distribuição para a Europa.

"A segurança da vacina é sempre primordial", adiantou Stella Kyriakides na mensagem sobre esta polémica, que se junta a outras na UE como atrasos na entrega de vacinas contra a covid-19 por parte da farmacêutica da AstraZeneca e dos efeitos secundários do seu fármaco, também com uma possível ligação a casos de formação de coágulos sanguíneos, ainda que raros.

Atualmente, estão aprovadas quatro vacinas na UE pela Agência Europeia do Medicamento: Pfizer/BioNTech (Comirnaty), Moderna, Vaxzevria (novo nome da vacina da AstraZeneca) e Janssen (grupo Johnson & Johnson, que estará a partir de agora em distribuição).

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.947.319 mortos no mundo, resultantes de mais de 136,5 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Football news:

Griezmann spoke with Hamilton and visited the Mercedes boxes at the Spanish Grand Prix
Barcelona feels that Neymar used it. He said that he wanted to return, but extended his contract with PSG (RAC1)
Aubameyang to the Arsenal fans: We wanted to give you something good. I am sorry that we could not
Atletico did not lose at the Camp Nou. Busquets' injury is the turning point of the match (and the championship race?)
Verratti injured his knee ligaments in PSG training. Participation in the Euro is still in question
Neymar's contract in one picture. Mbappe wants the same one
Manchester United would like to sign Bellingham in the summer, not Sancho. Borussia do not intend to sell Jude