Portugal

Em direto: Jorge Jesus antevê final da Taça Libertadores

Jorge Jesus fala esta noite aos jornalistas na conferência de imprensa de antevisão da final da Taça Libertadores, que será disputada este sábado entre River Plate e Flamengo.

Pensava em chegar à final da Libertadores quando chegou ao Brasil? Ainda ontem a minha equipa técnica falou sobre isso. No dia que decidi vir para o Flamengo, eu disse para prepararem as malas porque nós íamos ser finalistas da Libertadores. Já viemos para o Brasil com essa ideia. Temos muita confiança, apesar de o rival ser muito forte e ter mais experiência nesta competição do que nós. Mas isso não nos assusta, acreditamos no que somos capazes de fazer.

Confiante para a final? Estou a sentir a responsabilidade e o prestígio que tem a Libertadores. Um pouco semlehante à Champions na Europa. Dei uns passos à frente porque cheguei à final, na Champions estive lá próximo, mas nunca joguei a final. Queremos jogar com paixão e prazer, antes da responsabilidade. Queremos dar qualidade ao jogo e é isso que vamos tentar fazer amanhã. O que nos move é a nossa confiança para o jogo.

Libertadores preenche a lacuna da Champions no palmarés? São os dois troféus máximos de clubes nos seus continentes. O meu sonho era este, vir para um continente e poder vencer a Libertadores. Temos outro objetivo muito importante, o campeonato, e nunca coloquei nenhum à frente do outro, ao contrário dos adeptos, que dão mais importância à Libertadores. Ainda temos muitos passos que dar em frente.

Jogo mais importante da carreira e permanência no Flamengo: Quando chegas a uma final da Libertadores... todos os momentos são importantes. A Libertadores é o expoente máximo neste continente. Depois de a conquistar terei as mesmas responsabilidades. Depois deste troféu, certamente virão outros tão importantes. Tenho contrato com o Flamengo até junho.

Comparação entre River Plate e Flamengo: As duas equipas são parecidas em termos ofensivos. Defensivamente, são o oposto.

Onze para o jogo: A equipa que vamos lançar no jogo é a mesma que temos vindo a utilizar. Desde o Diego Alves até ao Arrascaeta, passando pelo Rafinha, pelo Caio, o Pablo e o Filipe Luís, assim como o Gerson e o Arão. O capitão de equipa Éverton Ribeiro, o Gabigol e o Bruno Henrique.Não há muito a esconder quando sentes que este é o onze que dá mais segurança. Numa final, um treinador não vai inventar nada.

André Carrillo: Conheço muito bem, trabalhou comigo no Sporting e levei-o para a Arábia Saudita, onde é o melhor jogador. Ele terá o seu futuro e eu o meu. Gostei muito de trabalhar com ele, é muito profissional. É um bom exemplo para todos os jovens do Peru.

River Plate entre as melhores equipas do mundo? Eu não sabia que ia jogar com o River. O Flamengo é o maior clube do mundo, não desportivamente, esse é o Real Madrid. Mas falando da sua dimensão, dos adeptos... o Flamengo é o melhor do mundo.

Trabalho desenvolvido durante a semana: Os jogadores e os treinadores crescem com os problemas que vão tendo diariamente. A aprendizagem do Gabigol surgiu com os erros que cometeu antes. É sempre assim, também comigo, que sou treinador. Todos os jogadores passam por um crescimento técnico e sentimental.

[Notícia em atualização]