Portugal

Empresas que acederam a incentivo podem pedir apoio à retoma em fevereiro

O Conselho de Ministros aprovou uma norma que "clarifica que a exclusão mútua entre o acesso aos apoios previstos no decreto-lei que cria o apoio extraordinário à retoma progressiva de atividade em empresas em situação de crise empresarial com redução temporária do período normal de trabalho, e o acesso ao incentivo extraordinário à normalização da atividade empresarial vigora até janeiro de 2021, inclusive", lê-se no comunicado do Governo.

Segundo fonte oficial do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, esta norma "significa que, a partir de fevereiro" as empresas que acederam ao incentivo à normalização da atividade podem recorrer ao apoio à retoma progressiva "sem necessidade de devolução do incentivo e mantendo o direito à 2.ª tranche no caso de ainda não ter sido paga na modalidade de 2 SMN [salário mínimo nacional]".

O incentivo à normalização da atividade consiste num apoio pago às empresas que estiveram em 'lay-off' simplificado, por cada trabalhador, podendo ser pago em duas modalidades: um salário mínimo pago de uma vez só ou dois salários mínimos pagos de forma faseada.

Segundo as regras iniciais, quem acedesse a este incentivo não podia aceder ao apoio à retoma (medidas que sucederam em agosto ao 'lay-off' simplificado).

Em novembro, face à evolução da pandemia, o Governo mudou as regras e permitiu, de forma excecional, que as empresas que até 31 de outubro pediram o incentivo à normalização pudessem aceder ao apoio à retoma até final de dezembro, sem terem de devolver os apoios já recebidos.

Com as novas restrições anunciadas esta semana, o Governo anunciou que as empresas que tiveram de encerrar devido à pandemia, voltam a ter direito a aceder ao 'lay-off' simplificado ou ao apoio à retoma, que agora são pagos a 100%.

Porém, a lei definia que quem pediu o incentivo não poderia agora aceder ao apoio à retoma, tendo o Governo hoje vindo clarificar esta matéria com a norma aprovada em Conselho de Ministros.

O apoio à retoma progressiva permite às empresas com quebras de faturação de pelo menos 25% reduzirem os horários dos trabalhadores, dependendo do nível da queda de faturação.

Segundo dados avançados pela ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, em dezembro 69 mil empresas beneficiaram dos apoios que sucederam ao 'lay-off' simplificado, tendo 50 mil destas optado pelo incentivo à normalização e 19 mil pelo apoio à retoma que, no ano passado, tinha regras menos generosas.

Leia Também: Dúvidas sobre o lay-off ou apoio à retoma? Participe nesta sessão online

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Football news:

Manchester United will pay almost 5 million euros in bonuses for Bruno if he enters the top 3 of the Golden Ball or becomes the PFA Player of the Year
Arsenal reported a loss of 47.8 million pounds for the last reporting year
Carragher on replacing Salah against Chelsea: I thought it was strange
Liverpool are Interested in Coulibaly
Golovin - the best player of Monaco in February according to the fans
Man City is preparing for Zinchenko a contract for 5 years with a salary of 90 thousand pounds a week (Claret&Hugh)
Salah's agent put an end to the tweet after replacing the player in the 62nd minute of the match with Chelsea