Portugal

Ex-secretário confirma que Brasil ignorou carta da Pfizer sobre vacinas

Em depoimento à investigação parlamentar à resposta do Governo brasileiro à crise sanitária, Wajngarten afirmou que uma carta enviada pela farmacêutica a oferecer vacinas, em 12 de setembro de 2020, ao Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, e ao Ministério da Saúde e outros membros do Governo, não recebeu resposta até 09 de novembro, quando tomou conhecimento do documento.

"A carta foi enviada dia 12 de setembro. O dono de um veículo de comunicação [social] me avisa em 09 de novembro que a carta não foi respondida. Nesse momento, envio um 'email' ao presidente da Pfizer. Quinze minutos depois, o presidente da Pfizer no Brasil - eu liguei para Nova Iorque -, me responde. Ele me disse: Fabio, obrigado pelo seu contacto", relatou Wajngarten.

Parlamentares da oposição avaliam que Bolsonaro dificultou a aquisição de vacinas contra a covid-19, nomeadamente da Sinovac e da Pfizer, por defender a tese da chamada imunidade de grupo.

Jair Bolsonaro chegou a insinuar que o imunizante da Pfizer poderia transformar as pessoas em "jacaré" numa conversa com apoiantes antes de o Governo brasileiro decidir comprar a vacina.

Respondendo a uma pergunta do relator da investigação, Renan Calheiros, sobre uma entrevista que Wajngarten deu à revista Veja em que alegadamente acusou a equipa do Ministério da Saúde de ter falhado na negociação da vacina, o antigo secretário foi evasivo e caiu em contradição em diversos momentos, irritando os senadores da CPI.

Wajngarten disse que teve reuniões com a equipa da Pfizer para ajudar na negociação e "destravar burocracias", mas depois negou ter participado das negociações quando foi questionado sobre o número de doses oferecidas ao Brasil.

"Nunca procurei a Pfizer, nunca pedi a reunião, eu nunca nada. Sempre me comportei de forma reativa para acelerar a chegada da melhor vacina naquele momento", declarou, noutro momento.

O ex-secretário de Comunicação participa na CPI na condição de testemunha e, portanto, não pode negar-se a responder ou mentir.

Diferente do que terá dito à revista Veja, Wajngarten também se negou a criticar membros do Governo brasileiro.

Questionado se houve "procrastinação" por parte do Governo brasileiro na aquisição das vacinas da Pfizer, disse aos senadores que não, alegando que o contrato oferecido tinha "cláusulas leoninas".

"Acho que a burocracia, a morosidade na tomada de decisão que é característica da administração pública é um problema nos casos excecionais como a gente tem na pandemia", declarou.

Confrontado com as declarações que alegadamente deu em entrevista à Veja em diversos momentos, Wajngarten foi acusado de mentir pelos parlamentares na sessão, que teve confrontos verbais entre senadores apoiantes e que fazem oposição ao Governo Bolsonaro.

"Se mentiu à Veja e a esta comissão, vou requerer a forma da legislação processual a prisão do depoente", afirmou o relator da investigação, Renan Calheiros.

A pedido do relator, a comissão requisitou a gravação da entrevista de Wajngarten à revista.

O presidente da CPI, Osmar Aziz, também criticou o ex-secretário afirmando que se não fosse objetivo nas respostas a CPI iria "dispensá-lo" da comissão.

"Pediremos à revista Veja que mande a gravação e o chamaremos de novo, não como testemunha, mas como investigado", avisou.

O Brasil é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo ao contabilizar 425.540 vítimas mortais e mais de 15,2 milhões de casos confirmados de covid-19.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.319.512 mortos no mundo, resultantes de mais de 159,5 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Leia Também: "Fora Bolsonaro". A mensagem de Fábio Porchat na missa de Paulo Gustavo

Notícias ao Minuto nomeado para os Prémios Marketeer

O Notícias ao Minuto é um dos nomeados da edição de 2021 dos Prémios Marketeer, na categoria de Digital Media. As votações decorrem até ao próximo dia 31 de maio.

Para nos ajudar a vencer, basta aceder ao site da iniciativa organizada pela revista Marketeer, clicando aqui, e proceder ao preenchimento do formulário, selecionando Notícias ao Minuto na categoria de Digital Media e formalizando depois a votação. Obrigada pela sua preferência!

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Football news:

Man City are ready to include Sterling, Jesus and Laporte in the deal for Kane
Austria midfielder Baumgartner collided with Ukrainian Zabarny, then scored a goal and was substituted due to a head injury
Liverpool will demand 10 million pounds for Neko Williams. Defender wants to leave to play more often
Andriy Yarmolenko: My career in Europe didn't work out, I have to be honest
Eriksen was fitted with a cardioverter-defibrillator. What is it and can I play football with it?
Lothar Mattheus: Havertz reminds me of Zidane with his technique, skill and vision of the pitch
Ronaldo rose from 10th place to 7th in the ranking of contenders for the Golden Ball according to the version Goal.Com. Kante leads