Portugal

Galgos de João Moura impedidos de competir

Cães não estão inscritos na Federação Nacional de Galgueiros.
O cavaleiro João Moura, que se dedica à criação de galgos para competição, não está inscrito na Federação Nacional de Galgueiros (FNG). Os cães do toureiro não fazem parte da lista de competidores nas provas em Portugal, pelo que não estão sujeitos a controlo regular de vacinação ou microchipagem. A Federação ponderou avançar com uma ação contra o cavaleiro, bem como constituir-se assistente no processo que corre na Justiça, mas deverá manter-se à margem.

"Os cães que foram apreendidos não estão tatuados pela FNG, o que impede que compitam em Portugal. São cães espanhóis, e não galgos de raça inglesa. Não estão inscritos em lado nenhum", avançou ao CM o presidente da FNG, José da Silva Ferreira, federação que, para além de verificar se os animais têm chip ou estão vacinados, prepara-se para implementar controlos antidoping em todas as competições nacionais, até ao final do ano.

"Isto [a apreensão de 18 cães subnutridos] foi uma catástrofe, uma vergonha", considera o dirigente, que repudiou já o "horrendo cenário em que foram detetados diversos cães em Monforte". Uma iniciativa legislativa, lançada em outubro pela SOS Animal, contava ontem com mais de 17 mil assinaturas pela proibição das corridas de galgos e, em simultâneo, da sua criação exclusiva para doação de sangue, atividade a que João Moura "não se dedica", segundo a assessoria do toureiro. O cavaleiro mantém ainda a guarda de mais de 20 galgos.
Ver comentários