A secretária para os Assuntos Sociais e Cultura de Macau afirmou esta quarta-feira que o Instituto Politécnico de Macau (IPM) vai estabelecer um centro de exames chinês-português no território.

Elsie Ao Ieong falava no debate setorial das Linhas de Ação Governativas (LAG) para 2021, na Assembleia Legislativa.

Este vai ser o primeiro centro de realização de exames nacionais de qualificação profissional para a área da tradução nas duas regiões administrativas especiais chinesas, Macau e Hong Kong.

“Estamos a criar um outro centro de exames com habilitação internacional. O IPM já entrou em contacto com os respetivos serviços e em tempo oportuno vamos publicar os resultados desses planos”, acrescentou a secretária, que no domínio da Educação e Juventude vai promover o desenvolvimento da “Aliança para o Ensino da Língua Portuguesa na Grande Baía”.

Neste âmbito, a Secretaria para os Assuntos Sociais e Cultura vai reforçar a “promoção da língua portuguesa” e a formação de quadros qualificados.

Um dos objetivos é também “através da plataforma de recursos bilingues de Macau e dos países de língua portuguesa incrementar a cooperação entre Macau, as cidades da Grande Baía e os países” lusófonos, afirmou.

Por outro lado, a secretária indicou que, no mesmo domínio, o Governo vai reforçar a “educação do amor pela pátria e por Macau”, com o lançamento de atividades destinadas aos jovens e também através da divulgação generalizada de materiais didáticos complementares, incluindo sobre a Constituição da China e sobre a Lei Básica, que funciona como uma mini-Constituição do território.

Estes materiais serão traduzidos, em inglês, para as escolas internacionais locais, e “em português para a Escola Portuguesa”, disse a responsável, numa resposta a questões colocadas por vários deputados, num debate dominado pela pandemia de Covid-19.

As autoridades de Macau vão encorajar as escolas internacionais a usar esses materiais didáticos, salientou.