Neste dia 2 de outubro assinala-se o Dia Internacional do Educador Social. Apesar de ser já uma profissão a ganhar força, muitos ainda não sabem o que faz e quais as competências de um educador social.

Os técnicos superiores de educação social têm lutado para conseguir provar o seu valor e identidade profissional. Infelizmente, este profissional é frequentemente confundido com outros profissionais da mesma área, que em comum só tem a palavra social na sua designação.

O educador social trabalha para, na e com a sociedade. Este trabalhador social devido à sua multidisciplinaridade formativa, pode desenvolver respostas sociais no âmbito do apoio a crianças e jovens, a pessoas idosas, a pessoas portadoras de deficiência, a grupos vulneráveis ou de risco, com famílias e para a comunidade em geral. Tendo, assim, um amplo contexto de intervenção.

Um educador social tem especificidades únicas na forma de desenvolver a sua ação, uma vez que este tem sempre em conta as características da pessoa ou grupo intervencionado, respeitando e adaptando-se a cada um, de forma a planear projetos e estratégias ajustadas a cada indivíduo, nunca pondo em causa a integridade e individualidade de cada pessoa.

É essencial reforçar a ideia que o educador social tem sempre em atenção a identidade da pessoa, usando as suas capacidades e competências para que esta seja a principal interveniente do seu processo de desenvolvimento. Dotando-a de competências e aptidões, que permitam à pessoa seguir o seu caminho de forma independente e autónoma.

Este profissional promove a independência dos grupos com quem trabalha, trabalhando o indivíduo como um todo, aproveitando ao máximo as suas capacidades. As pessoas não são seres vazios e, como tal, o técnico superior de educação social ajuda o indivíduo ou grupo a aproveitar as capacidades ou conhecimentos já adquiridos e a transformá-los para melhorar a sua condição de vida, de modo a que possa satisfazer as suas necessidades e viver de forma digna.

Como pedagogo, o educador social veio introduzir uma perspetiva educativa no âmbito do trabalho social. A sua intervenção procura dar respostas às necessidades reais dos sujeitos alvo do seu trabalho, promovendo sempre a capacidade de decisão, a participação ativa de cada um, favorecendo o seu desenvolvimento integral e alargando as oportunidades.

Principalmente, nos tempos que correm, a intervenção dos técnicos superiores de educação social é muito importante na ação formativa e na operacionalização contra a Covid-19. Estes técnicos podem e devem ter um papel central nesta luta.