Portugal

PCP quer desfecho justo para falsos recibos verdes de Serralves e Casa da Música

A deputada do PCP Ana Mesquita considerou, esta segunda-feira, que nenhum "falso recibo verde" pode ficar por resolver na Fundação de Serralves e na Casa da Música, no Porto, esperando que o "desfecho" para os trabalhadores nesta situação seja justo.

No final de uma reunião com trabalhadores destas duas instituições culturais, a comunista referiu aos jornalistas que "não é aceitável" existirem situações de precariedade em Serralves, onde o Estado é sócio fundador.

Além de lembrar que estão em curso vários processos de regularização de vínculos precários em Serralves, a seguir tramitação em tribunal, a parlamentar adiantou que têm vindo a público novas situações, nomeadamente relacionadas com trabalhadores em `outsourcing´ (subcontratação de serviços) com funções na receção do museu.

"Nenhuma situação de falso recibo verde pode ficar por resolver, já dirigimos uma pergunta ao Governo sobre esta matéria, à qual aguardamos resposta", vincou.

Esperando que o desfecho destes processos seja justo, Ana Mesquita ressalvou que os trabalhadores reafirmaram que obedeciam a uma coordenação, tinham horário, pediam autorização para se ausentar em determinado dia e usavam as instalações e equipamentos de Serralves no exercício das suas funções, indícios que configuram falsos recibos verdes.

A 5 de março arrancou o julgamento de ações para reconhecimento de contratos de trabalho dos 21 precários, que está a ser feito de forma faseada.

Antes de o caso avançar para a Justiça, a Fundação de Serralves recusou a indicação da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) para integrar os trabalhadores nos seus quadros.

Chamada ao parlamento, a presidente do Conselho de Administração da fundação, Ana Pinho, declarou: "Acreditamos que se trata de uma verdadeira prestação de serviços, não abdicaremos da nossa responsabilidade de ir até às ultimas consequências e deixar que o tribunal decida sobre estes processos".

Já sobre a Casa da Música, e apesar de esta ter regularizado algumas situações, há questões que continuam por resolver, afirmou a deputada na Assembleia da República.

À semelhança de Serralves, o PCP já questionou o Governo de António Costa sobre a situação de precariedade nesta instituição e de que forma os membros deste executivo vão intervir para acabar com ela.

Ana Mesquita salientou ainda que no organograma não consta a categoria de assistente de sala, mas ela existe e toda a gente vê.

"Há aqui não só a questão do vínculo precário, mas toda uma forma precária de funcionamento que tem de ser alterada de forma cabal", entendeu.

A série de processos para reconhecimento de contratos de trabalho a colaboradores da Casa da Música foi desencadeada depois de uma inspeção da ACT.

Na sequência dessa inspeção, a Casa da Música foi notificada pela ACT para "regularizar a situação dos trabalhadores" e o Ministério Público propôs várias ações de reconhecimento de contratos laborais.

Antes de serem conhecidas estas decisões, a ACT informou que 19 dos 37 casos de 'falsos recibos verdes' detetados na Fundação Casa da Música foram regularizados.

Football news:

Salomon Rondon: Thank you for everything, WEB Arena. It was reported that CSKA is unlikely to buy the forward
Messi has failed to score for Madrid in the league for the first time in 15 years
Tuchel on the Champions League final: Chelsea are aware that they can beat Man City
Klopp on the top 4: It's not impossible, but it's difficult. Liverpool will try
Tiago Alcantara: Liverpool are fighting for a little miracle. It is always a pleasure to score and help the team
Manchester United missed out on a £ 200m deal. The sponsor is concerned about the conflict of fans with the Glazers
Troyes advanced to Ligue 1, winning the second division. The club belongs to the Man City holding