O Centro para Protecção Contra Competição Injusta é uma associação não lucrativa financiada pelas empresas e grupos industriais alemães, segundo a Autonews. E foi exactamente essa associação que apresentou uma queixa num tribunal germânico contra a Tesla, por alegadamente poder induzir em erro os seus potenciais clientes, com os anúncios ao sistema Autopilot.

Afirma a associação que, no site alemão da Tesla, a marca norte-americana afirmou que os seus modelos teriam capacidade de poder circular automaticamente em cidade no final de 2019 e que tinham potencial para condução autónoma. De acordo com o advogado do grupo de queixosos, Andreas Ottofuelling, “nem sequer existe ainda, na Alemanha, uma base legal para a condução autónoma na cidade e há outras funções que ainda não funcionam como anunciado”.

Porsche contra Tesla: qual o mais seguro?

O tribunal de Munique irá decidir, durante a próxima semana, se há mérito na queixa. Mas o que não há dúvida é que existe um certo mal-estar, junto dos construtores rivais alemães, desde que os modelos da Tesla foram distinguidos como os melhores em segurança pelo organismo oficial europeu EuroNcap, com particular destaque para os sistemas electrónicos de ajuda ao condutor, em que se integra o Autopilot.

Segundo a Autonews, caso o tribunal decida contra a Tesla e esta opte por não apelar, o fabricante terá de moderar as reivindicações sobre o potencial do sistema. Pode ver aqui a informação que se pode encontrar hoje no site da marca, a propósito dos dois níveis de Autopilot.