Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Aumento das exportações de petróleo dos EUA para a Europa obriga a rever o preço de referência do petróleo Dated Brent, mais utilizado no mundo.

Depois de anos de disputas, o preço indicativo do petróleo Dated Brent mais utilizado no mundo está prestes a mudar, permitindo que o fornecimento de petróleo do Texas, nos Estados Unidos, também seja considerado para precificar milhões de barris por dia em transações de petróleo. Isso reflecte a importância atual dos Estados Unidos no mercado mundial do petróleo, principalmente nas exportações de petróleo para a Europa (ver Portal de Angola 29 de Março), onde os estados Unidos passaram a ser o principal fornecedor, relegando a Rússia para segundo plano na sequência das sanções europeias devido a guerra da Ucránia.

A mudança ocorre quando a referência existente, Dated Brent, está lentamente à ficar sem petróleo negociável para permanecer credível. Como tal, a sua editora S&P Global Commodity Insights – mais conhecida pelos traders como Platts – foi forçada a fazer uma revisão dramática.

A transição gerou muitas controvérsias e causou muito estresse entre os comerciantes de petróleo. O Dated actual é composto por cinco indicadores BFOET – Brent, Forties, Oseberg, Ekofisk e Troll. O futuro Dated já está definido. A partir de junho, West Texas Intermediate Midland, o petróleo Permiano vai se juntar aos cinco indicadores que definem a referência Dated.

Por que isso é importante?

Dated, como é habitualmente conhecido pelos comerciantes de petróleo, ajuda a precificar cerca de dois terços do petróleo mundial e até define o preço de alguns negócios de gás.

Os países produtores de petróleo, como Angola, geralmente vendem os seus barris com pequenos prêmios ou descontos em relação ao Dated. Portanto, o método de cálculo do Dated é importante para eles. Além disso, a referência Dated está no centro de uma complexa teia de derivativos, moldando os contratos futuros de petróleo Brent que são negociados nas bolsas.

Como vai funcionar?

Suponhamos que o petróleo West Texas Intermediate (WTI) Midland é exportado dos Estados unidos para a Europa e entregue em Rotterdam. O preço é em seguida compensado usando um fator de ajuste de frete como se fosse enviado do Mar do Norte.

Após um processo cuidadoso, a Platts avaliará se o petróleo do Texas está a ser oferecido acima ou abaixo dos cinco indicadores existentes que definem o Dated – Brent, Forties, Oseberg, Ekofisk ou Troll.

Se a Platts considerar que o WTI Midland é o preço mais competitivo em oferta – ou realmente vendido – então o Dated (Datado) será definido com referência ao WTI Midland.

Portanto, o WTI Midland pode influenciar o preço que um vendedor de barril de petróleo da Bacia do Atlântico cobra a uma refinaria, digamos, na China.

O novo Dated será melhor?

Supondo que os comerciantes aceitem os ajustes, será o novo Dated deverá refletir um volume muito maior de petróleo negociado nos mercados internacionais.

Só em março, esperava-se que chegassem à Europa cerca de 60 navios-tanque transportando cerca de 1,8 milhão de barris por dia de petróleo, o maior número desde 2016, segundo dados compilados pela Bloomberg. Algo como 1 milhão de barris por dia de WTI Midland será teoricamente elegível para inclusão no Dated.

Quais são as principais preocupações?

Não há dois óleos iguais e, eventualmente, a Platts terá de avaliar com precisão como o WTI Midland se compara aos outros indicadores BFOET de petróleo que compõem o Dated – Brent, Forties, Oseberg, Ekofisk e Troll

Alguns especialistas dizem que é superior por causa da sua densidade e níveis de enxofre.

No entanto, alguns comerciantes europeus também expressaram preocupação de que as propriedades das cargas WTI Midland possam não corresponder ao que foi estipulado quando negociado. Isso ocorre porque o WTI é na verdade uma mistura de diferentes óleos brutos.

Seria um problema se uma carga de petróleo – comprada ou vendida com o objetivo de estabelecer uma referência global que sustentasse os preços globalmente – falhasse.

Os operadores de terminais dos EUA dizem que não há muito com o que se preocupar. Eles dizem que os 11 terminais aprovados pela Platts que enviarão petróleo são todos capazes de garantir alta qualidade consistente para atender ao Dated.

Outra questão são os tamanhos de carga que podem ser incluídos. Com 700.000 barris, eles não correspondem à realidade do atual comércio de petróleo dos EUA.

Houve uma inundação de superpetroleiros trazendo cargas de 2 milhões de barris através do Atlântico. Estes não se qualificariam para inclusão na definição do Dated.

Por fim, todos os indicadores BFOET vêm com os seus próprios cronogramas de carregamento, com cada remessa recebendo seu próprio identificador exclusivo. Isso dá aos comerciantes uma visibilidade clara dos suprimentos de petróleo. Este ainda não é o caso do WTI Midland e pode causar alguma incerteza sobre quantas cargas estão a ser oferecidas.

Por: Editor Economia