Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Caála expõe potencialidades económicas

Setenta e quatro agentes económicos do município da Caála, província, expõem desde hoje as suas capacidades de produção agro-pecuária e industrial, com o objectivo de atrair maiores investidores.

Sob iniciativa da Administração local, no quadro das festividades dos 53 anos da elevação da localidade em cidade, a 15 de Julho de 1970, o evento tem expostos produtos alimentares como cereais, tubérculos, hortícolas e fruteiras, entre outros.

Em 32 dias, a feira congrega, igualmente, para além da produção agrícola, produtos industriais, artefactos produzidos por artistas locais, como olaria, cestaria, trajes tradicionais, missangas e artesanato.

Em declarações a ANGOP, o administrador adjunto para área Financeira do município da Caála, Edson Roberto Pratas da Silva, disse que o evento conta, também, com produtos ligados à educação, saúde e a tecnologia, com foco na identificação novos investidores.
Disse que, com esta acção, se pretende estabilizar a economia local e preservar os valores históricos no percurso das festividades desta cidade.

Referiu que a Administração local está a insistir no melhoramento da cidade, pois já aperfeiçoou as principais estradas das ruas e da iluminação pública, incluindo no Pólo de Desenvolvimento Industrial.

Na edição passada das festividades da cidade da Caála, tinham sido selecionados 66 expositores que concentraram o seu foco na agricultura, pequena industria e a demostração dos valores artísticos locais.

Percurso histórico do surgimento da cidade da Caála

A cidade da Caála foi fundada por Antero Gavino do Rego, José Henriques Beira Alta, Gualdino da Cunha Barros e José da Fonseca Monteiro, considerados seus primeiros habitantes.

Segundo depoimentos históricos, a actual cidade da Caála recebeu os primeiros residentes em 1900, pois, aquando da revolta do Bailundo em 1902, já se encontravam os portugueses Gualdinho da Cunha e Antero Gavino do Rego nesta região.

Em meados de 1912, chegou a linha do Caminho de Ferro de Benguela (CFB), factor que contribuiu para o desenvolvimento do povoado que até então, não era mais do que um pequeno acampamento junto de uma antiga aldeia cujo soba se chamava Cahala Mbita, emergindo a partir desta altura como povoação.

A Caála pertenceu à circunscrição do Huambo até 1922, tendo sido integrado a partir do mesmo ano na circunscrição do Lépi, criada então governador provincial Norton de Matos.

Em 1929 ainda integrada na circunscrição do Lépi, teve o seu primeiro corpo administrativo denominada como Junta Local e no mesmo ano foi baptizada de povoação de Robert Williams por determinação do governo português.

Por portaria sem número de 27 de Outubro de 1934, a circunscrição do Lépi ascende a categoria de Conselho da Caála, sendo que em Outubro de 1956 a sua Junta Local é transformada em comissão municipal. Dez anos depois, o seu corpo administrativo é elevado à câmara municipal.

A partir do dia 10 de Março de 1970, a vila foi ligada a linha de condução da energia hidroeléctrica do Alto Catumbela (Benguela) que trouxe enumeras possibilidades de desenvolvimento industrial e comercial para a mesma.

A Caála, aos 15 de Julho de 1970, por portaria número 17011, foi elevada a categoria de cidade pelo então governador-geral de Angola, tenente-coronel, Camilo Augusto de Miranda Rebocho Vaz. LT/ALH