Angola
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Donald Trump vai responder a acusações criminais por suborno

O antigo Presidente americano Donald Trump foi formalmente acusado na quinta-feira, 30, por um grande júri de Manhattan, em Nova Iorque, por suborno à estrela de filmes pornográficos Stormy Daniels, sendo assim o primeiro antigo Chefe de Estado americano a enfrentar acusações criminais, disse uma fonte policial.

As acusações, decorrentes de uma investigação liderada pelo procurador distrital de Manhattan, Alvin Bragg, podem afectar a campanha presidencial de 2024.

Trump disse anteriormente que continuaria na corrida à nomeação pelo Partido Republicano mesmo se fosse acusado de crime.

As acusações específicas ainda não são conhecidas, segundo jornal New York Times, mas Trump terá de viajar a Manhattan para impressões digitais e outros procedimentos.

O escritório do procurador Bragg e um advogado que representa Trump não reagiram ainda.

O caso

Um grande júri convocado por Bragg em Janeiro deste ano começou a ouvir evidências sobre o eventual suborno de Trump a Daniels, dias antes da eleição presidencial de 2016.

A conhecida atriz e directora de filmes pornográficos, cujo nome verdadeiro é Stephanie Clifford, disse que recebeu dinheiro em troca de manter silêncio sobre um encontro sexual que manteve com Trump em 2006.

O advogado pessoal do ex-Presidente, Michael Cohen, confirmou que Trump fez pagamentos secretos a Daniels e a uma segunda mulher, a ex-modelo da Playboy Karen McDougal, também revelou ter mantido um relacionamento sexual com ele.

Em ambos os casos, Trump negou qualquer relacionamento.

Os procuradores federais examinaram o pagamento de Daniels em 2018 e, na altura, o advogado Cohen foi condenado a três anos de prisão, tendo Trump saído ileso.

Implicações políticas

Nenhum ex-Presidente dos Estados Unidos ou em exercício enfrentou acusações criminais, o que acontece agora pela primeira vez com Trump, que também tem pela frente duas investigações criminais por um advogado especial nomeado pelo procurador-geral dos EUA, Merrick Garland, e uma por um procurador local na Geórgia.

Na campanha para a Casa Branca em 2024, Trump lidera as intenções de voto dos republicanos, com 43% de apoio, de acordo com uma pesquisa Reuters/Ipsos de Fevereiro, contra 31% do seu rival mais próximo, o governador da Flórida, Ron DeSantis, que ainda não anunciou a sua candidatura.

No dia 18, Trump escreveu na sua rede social que esperava ser preso a 21 de Março e instou os seus apoiantes a protestarem para “tomar a nossa nação de volta”, lembrando suas exortações antes do ataque de 6 de Janeiro de 2021 ao Capitólio dos Estados Unidos.

Alguns importantes dirigentes republicanos já acusaram o procurador Bragg de processo selectivo com motivações políticas.

O presidente republicano da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Kevin McCarthy, falou de “ultrajante abuso de poder por parte de um procurador radical” e anunciou uma investigação do Congresso sobre se o financiamento federal estava a ser usado para apoiar a investigação de Bragg e “subverter a democracia”.

Três presidentes de comités republicanos da Câmara pediram a Alvin Bragg que lhes forneça comunicações, documentos e testemunhos sobre a investigação.